Publicidade
Blogs

A tendência dos ambientes perfumados e porquê você deveria adota-la

Especialista em perfumaria esclarece dúvidas e fala da importância de se pensar nos aromas de forma personalizada 30/10/2017 às 16:53 - Atualizado em 30/10/2017 às 16:53
Show vida0329 001f
(Foto: Divulgação)

Por Juan Gabriel

Doces, cítricos, amadeirados, a lista de aromas presentes nos perfumes é extensa. E pode dizer muito mais sobre sua imagem do que se imagina. Prova disso é o crescimento na tendência adotada por lojas, empresas e até residências que adotam fragrâncias próprias e personalizadas para perfumar o ambiente. A prática é uma tentativa de reforçar a identidade do local através da memória olfativa, além de claro, deixar o lugar mais agradável. Mas acertar na escolha do cheiro certo não é tão simples assim.

Há pouco mais de seis meses a arquiteta Aline Nottdrodt decidiu mergulhar de vez no universo dos perfumes. É dela o nome por trás da marca Aromalize, especializada em aromatização de ambientes. Com a prática se consolidando na capital amazonense, a especialista destaca a importância de se pensar nas fragrâncias de maneira individual para cada espaço.

“A memória olfativa é comprovada cientificamente a mais forte que a de todos os outros sentidos. Marcar um ambiente com uma fragrância exclusiva é se fazer lembrar na memória das pessoas que já passaram, frequentaram ou ainda frequentam esse ambiente. É eternizar com um aroma o seu ambiente ou a sua marca”, conta a especialista.

O processo por trás das escolhas envolve um trabalho minucioso. Devem ser levadas em contas não só características pessoais de quem deseja ter o lugar aromatizado, como quem vai frequentar o ambiente. Após isso, chega-se a produção de um aroma personalizado que transmita o que o espaço tem a oferecer.

“Você precisa conhecer o ambiente para identificar as características do empreendimento e diante disso, tem que fazer a análise de público, análise de funcionários, qual o público que você trabalha, o que quer buscar desse público, são escolhas que você faz para buscar esse cheiro, um aroma que represente a marca e depois dessa compilação toda a gente começa a gerar alguns cheiros, faz alguns testes minuciosos para conhecer mais a intenção da pessoa. O perfumista precisa também ter feeling para saber o que oferecer”, explica a especialista.

Já as escolhas para a casa devem levar em conta quase que os mesmos critérios que são utilizados para ambientes comerciais ou públicos. Nesse caso, é preciso levar em conta as características da família. “Como o público é mais reduzido, ai você vai buscar a essência da família. Se é uma família introspectiva, se gosta de mais momentos íntimos, se é mais aberta, então de fato isso tudo influencia na escolha de um aroma para perfumar o lar”, afirma.

Dicas em geral

É preciso deixar claro que não existe perfume perfeito. Porém, existem aromas que funcionam mais que outros dada sua versatilidade em diferentes ambientes. Um deles é o cítrico, que por ser um aroma mais frescal, refrescante e vibrante, costuma ter mais aceitação. Outro aroma que pode servir como coringa na hora de agradar as visitas é os do tipo madeirado. Mas cuidado, nem toda fragrância é eclética.

“Existem lugares que o madeirado funciona mais, pois ele tem uma imponência né, uma força, assim como os cítricos que são vibrantes. Já aromas adocicados tem que ser usadas com moderação por que são mais fortes. Essa questão é uma analise muito minuciosa pra gente poder definir que família olfativa funciona melhor”, diz Aline.

Familias olfativas

A variedade de aromas no mundo da perfumaria fez com que fossem adotadas algumas convenções internacionais. Uma delas diz respeito aos grupos nos quais os aromas se encaixam, as chamadas famílias olfativas. Ao todo são seis, cada qual com características particulares e marcantes que devem ser levadas em conta na hora da escolha.

Cítricos: esta categoria busca os seus aromas nas cascas dos citrinos, destacando-se a utilização da laranja, limão, toranja, tangerina e bergamota. É uma família aromática bastante popular porque produz perfumes leves, frescos e estimulantes.

Florais: Remete ao poder que só o perfume natural das flores consegue trazer. Nesta categoria recorre-se, muitas vezes, a uma única espécie de flor para produzir um perfume.

Fetos: Seu nome origina do termo francês “fougères”. Esta família aromática representa a frescura das ervas e plantas herbáceas, normalmente associados a aromas limpos e puros.

Chipre: Os traços que identificam esse grupo são a sua mistura de notas quentes e frias, numa espécie de junção do melhor dos dois mundos da perfumaria: Os cítricos e amadeirados.

Amadeirados: como o próprio nome indica, este grupo aromático utiliza as melhores madeiras para produzir aromas escaldantes e sedutores que resultam melhor quando combinados com os cítricos e os florais.

Orientais: É tido como a mais intensa das famílias. São fragrâncias orientais que tem a sua base numa junção entre especiarias exóticas – pimenta, anis, canela, baunilha, entre outras – e aromas florais.