Publicidade
Blogs

Por dentro de 'Creepshow', a primeira HQ do mestre Stephen King

23/11/2017 às 13:50 - Atualizado em 23/11/2017 às 13:50
Show 1295332

Paulo André Nunes
pauloandre@acritica.com

Prepare-se para congelar de terror em 64 páginas de muito, mas muito medo! Está nas livrarias de Manaus a HQ de capa dura “Creepshow” (Show de Horrores”, editora Dark Side Books), obra inspirada no filme de mesmo nome lançado em 1982 pelo mestre do horror Stephen King em parceria com o diretor George Romero (“A Noite dos Mortos-Vivos”). Em ambas, cinco histórias inspiradas em HQs clássicas dos anos 50, como aquelas de revistas inesquecíveis à la “Contos da Cripta”. Na adaptação para a HQ, King contou com a arte primorosa do já falecido artista Bernie Wrighston (um dos criadores e primeiro ilustrador de “O Monstro do Pântano”) e capa de Jack Kamen, autor da EC Comics.

Agora, 35 anos depois, “Creepshow” chega ao Brasil para deleite de quem não tem medo de ter pesadelos. Mas deveria ter. A HQ traz cinco histórias - “Dia dos Pais” (“Father’s Day”), “A Solitária Morte de Jordy Verril (“The Lonesome Death of Jordy Varril”), “A Caixa” “The Crate”, “Indo com a maré” (“Something to tide you over”) e encerrando com “Vingança barata” (“They’re creeping up on you”).

Curioso é quem narra as histórias: uma decrépita caveira, morto-vivo ou sabe-se lá o quê, mas que é capaz de provocar arrepios do início ao fim da obra. Talvez os mesmos arrepios de quando Stephen King era jovem e folheava suas revistas de terror, que formaram, ali, no menino nascido em Portland, em 1947, o autor que vendeu mais de 350 milhões de cópias com publicações em mais de 40 países e várias adaptações para filmes clássicos como “O Iluminado” e “Carrie, a Estranha”.

Independente de spoilers de quem já viu e reviu os filmes, como este repórter que vos escreve, o essencial é curtir cada uma das 64 páginas de “Creepshow” como um item de colecionador de mestres como King, Kamen e dos já falecidos Romero e Wrighston.

“Creepshow” é mais uma daquelas obras-primas de Stephen King que nos fazem refletir sobre a genialidade do autor: lendo sobre a HQ, descobre-se que foi a estreia dele como roteirista e, pra completar, o próprio King participa como ator em “A Solitária Morte de Jordy Verril”, onde ele encarna um inocente matuto que se dá mal após manter contato com um meteorito que caiu em seu terreno. Ali vemos um autor interagindo com sua obra, lembrando o que outro imortal, o diretor de cinema Alfred Hitchcock, fazia ao aparecer em seus filmes. Mas, diferente de Hitchcock, King vai mais fundo no personagem.

Todos os finais das cinco histórias são impactantes, ao estilo da dupla King e Romero. A história em quadrinhos nos deixa com aquele gosto de quero mais. A sensação, além do clima de terror, é que a quantidade de páginas é muito pouca para um devorador voraz (sem trocadilhos, já que uma das histórias traz um horripilante animal que, digamos, tem o hábito de comer literalmente pessoas). Bons pesadelos, leitor.

Serviço 

HQ “Creepshow”
editora: Dark Side
autores: Escrita por Stephen King e ilustrada por Bernie Wrightson
curiosidade: A HQ foi lançada originalmente nos EUA em 1982, baseada no roteiro do filme homônimo escrito por King e dirigido por George A. Romero
quanto: De R$ 35 a R$ 49,90 nas livrarias e pela internet