Publicidade
Blogs

Os cuidados com os dentes dos pequenos

Os pais devem ficar atentos com a saúde bucal das crianças. Profissionais da área alertam que a higienização deve começar tão logo nascem os primeiros dentinhos. 08/03/2017 às 16:02 - Atualizado em 08/03/2017 às 16:37
Show img 8240
Crianças devem ter o acompanhamento do odontopediatra a cada três ou quatro meses

FERNANDA TEIXEIRA

Você já levou seu filho ao dentista esse ano? Se não, é melhor se programar. Os cuidados com os dentes devem começar quando ainda são bebês para evitar que sofram com cáries no futuro.

A higienização bucal deve começar quando aparece o primeiro dente decíduo, mais conhecido como “dente de leite”. Antes disso, a limpeza serve apenas para que o bebê se acostume com a manipulacão no local. Os pais, no entanto, devem ficar atentos porque o processo vai de encontro a presença do Igg (anticorpos maternos) presente no leite materno, auxiliar na imunidade da criança.

Quando nascem os primeiros dentinhos, os pais podem esfregá-los com uma fralda ou gaze limpa, embebida em água filtrada, ou utilizar uma escova dental infantil. Diante da oferta de produtos em farmácias e supermercados, muitos pais têm dúvidas na hora de comprar a pasta de dentes para os pequenos. A odontopediatra Gimol Benchimol de Resende Prestes indica as pastas infantis sem flúor quando a criança já possui, no mínimo, quatro dentes na boca. “Isso para que ela já tenha pelo menos oito meses de idade. Nesses casos, o uso é apenas motivacional”, salienta.

Gimol – que é professora doutora em Odontopediatria pela Universidade do Estado do Amazonas – aconselha a iniciar a vida do dente com pasta sem flúor como forma de motivação até que a criança aprenda a cuspir. O próximo passo, segundo ela, é a troca para uma pasta dental de baixa dosagem (500 a 750ppm). “Apesar de as mais recentes pesquisas divulgarem que ao primeiro dente erupcionado deveria ser utilizada uma pasta fluoretada de alta concentração (1100ppm), eu não realizo essa prescrição”, afirma.

A odontopediatra esclarece que a ingestão do flúor pela criança leva a efeitos colaterais, como: dor de barriga, vômito (quando ingerida em grande quantidade) e, a longo prazo, leva a um defeito estrutural do dente permanente que está em formação. “Esses dentes podem nascer com manchas ou até mesmo com perdas de estrutura”, alertou. Mas cada caso é um caso. Gimol explica que, se durante uma consulta, o bebê apresentar atividade de cárie, que pode ser mancha branca ou lesões aparentes, o uso da pasta com flúor deve ser iniciado mais cedo.

A pasta sem flúor serve como estímulo a criança, melhora o hálito, mas ela não realiza a remineralização da estrutura dental. O simples ato de escovar os dentes e a remoção da placa dental já são o suficiente para a prevenção da doença cárie.

Um fator que merece a atenção dos pais é a alimentação noturna, que pode ser uma vilã quando a criança já possui dentes. “Ao alimentar o bebê dormindo, fica uma grande quantidade sobre a estrutura dental. Um prato cheio para as bactérias da cárie”, disse Gimol. De acordo com ela, o ideal é evitar a mamada noturna ou ao final da mesma passar uma fralda úmida em água filtrada nos dentes.

O fio dental também é um grande aliado no combate à carie. Ele deve ser usado principalmente nas arcadas em que os dentes são muito juntinhos. A odontopediatra atenta para as boquinhas onde os dentes da frente são separados, porque os posteriores são juntos. “Então, neste lugar, devemos utilizar o fio”, afirmou.

Gimol vê com cautela o uso de enxaguantes. É fundamental que a criança já saiba cuspir e tenha sempre a supervisão de um adulto. “Uma escovação bem realizada não precisa de enxaguante e quando essa é mal feita o enxaguante não funciona como substituto”, disse.

Manchas nos dentes

O que fazer se os dentes de seu filho estiverem manchados? Preste atenção na alimentação ou mesmo em possíveis medicamentos que a criança tenha ingerido. Isso porque o grande risco da medicação infantil está na sua alta dosagem de açúcar para que seja melhor aceita pelos pequenos. “Juntamente a não higiene dental, é um prato cheio para a cárie”.

Alimentos ricos em corantes e de cor com grande intensidade (refrigerantes, sucos de uva, maracujá...), vitaminas com ferro também podem manchar os dentes. Quando demora sua remoção, a mancha pode se fixar na estrutura dental, tornando-a impossível de removê-la.

Existe ainda a presença em desequilíbrio da bactéria cromogênica, que leva a pigmentação em tons esverdiados ou negra da estrutura dental. Quando isso ocorre, apenas a limpeza profissional e controles periódicos são capazes de controlá-las.

Consultas

Gimol Resende fala que a consulta ao odontopediatra deve acontecer após o aparecimento do primeiro dente em boca. No entanto, há casos em que é necessário os pais levarem mais cedo, são eles: quando verificada a presença de freios com inserção baixa, nódulos ou granulomas, e às vezes dentes no recém nascido ou que nascem no primeiro mês de vida.

As consultas de retorno, segundo ela, não devem ultrapassar de três a quatro meses até a erupção total dos dentes decíduos (dentes de leite). Quando todos estiverem em boca o intervalo pode ser encurtado.