Publicidade
Blogs

Planejando as atividades extracurriculares do ano

23/01/2017 às 16:33
Show images  2

Por karlla Marinho

Balé, Kumon, música, inglês, natação..., não faltam opções para preencher o tempo em que as crianças não estão na escola. As atividades extracurriculares são a forma de elas aprenderem outros conteúdos, que não fazem parte das disciplinas ensinadas na sala de aula e de quebra ainda ocupam o tempo delas nos períodos em que os pais estão trabalhando.

Na medida certa, essas atividades são positivas e trazem uma série de benefícios, mas o exagero pode causar o efeito contrário e prejudicar o desenvolvimento da criança.

Lembro que na minha infância, eu gostava de desfrutar de um tempo em casa quando chegava da aula, mesmo sem ter o que fazer. O período em que fiquei sobrecarregada com a escola, equipe de natação e inglês foi bem estressante. Muito cansaço e mal humor.

 

Existe um limite ideal?

A enquete publicada no site da Crescer, mostra que  37% dos pais disseram que planejavam colocar os filhos para fazer atividades extracurriculares duas vezes por semana; 20% responderam que matriculariam as crianças em cursos três vezes por semana; 18% disseram que optaram por quatro vezes na semana e 12%, uma vez por semana. Há famílias que deixam as crianças praticarem outras atividades todos os dias da semana: um total de 8% dos que responderam à pesquisa. Somente 4% dos pais disseram que os filhos não fariam cursos além da escola.

Eu acredito que respeitando a faixa etária, atividades extracurriculares três vezes na semana é o ideal. Até porque muitas das atividades geram tarefas extras para casa, o que ocupa o restante do tempo livre das crianças. A sobrecarga também prejudica os pais que precisam acompanhar de perto cada atividade, além de levar os filhos para cada compromisso.

O importante mesmo é ficar atento ao comportamento da criança e como ela responde aos estímulos. Irritabilidade, cansaço, distúrbios do sono são alguns dos sintomas apresentados quando a criança estiver ultrapassando seus limites.

Outro ponto que estou atenta para colocar em prática com as meninas é a escolha da atividade que precisa ser do interesse delas. Eu como mãe tenho minhas preferências, mas acho importante somar com a escolha da criança no tipo de esporte ou curso que ela optar fazer.

Esse ano a minha meta, com base na escolha delas, é colocar as meninas  na aula de inglês e balé. E você, já conversou com seus filhos, já começou a se planejar? Compartilha sua experiência com a gente também.

Um beijo e até a próxima.

Acesse maescricri.wordpress.com para conferir outros artigos.