Publicidade
Blogs

A pressão psicológica que o treino cria

24/05/2016 às 16:53 - Atualizado em 24/05/2016 às 16:55
Show acadd

Faltando menos de dois meses e meio para o fim do desafio Pronto Pra Casar, preciso admitir que venho falhando: o último mês foi cheio de reviravoltas e o medo de ter pedido parte daquele pique já construído com esforço nos dois meses anteriores reina em mim. Foram uma sequência de imprevistos que obrigaram mudanças nos planos: a noiva Debora precisou passar por uma cirurgia de endometriose e já que é pra estar junto seja na saúde ou na doença, dediquei todo meu tempo livre a estar ao lado dela, ajudando até a levantar e sentar. 

Foram duas semanas intensas que me deixaram com pouco tempo livre para me exercitar, e só consegui ir para a academia 5 vezes ao longo de quase 15 dias, sendo que em duas ocasiões fiz apenas o treino funcional. Claro que é melhor do que estar parado, mas continuava com todo o gás necessário. Na terceira semana, que deveria ser de readaptação aos horários normais, não desenvolvi como deveria e novamente não consegui treinar as 5 vezes por semana que deveria, o que resultou em mais frustração.

Já a quarta e última semana - a passada -, foi a mais frustrante. Se a anterior havia sido de readaptação, esta foi de inclusão de um novo hábito: acordar praticamente de madrugada para ir para a academia e chegar no primeiro expediente até as 8h. E quem disse que consegui fácil assim? No primeiro dia, houve um erro de cálculo no tempo necessário para o trajeto casa-academia-trabalho e acabei tendo tempo só de me aquecer. No dia seguinte, acordei mais cedo e cheguei na Cia Athletica num horário um pouco melhor, para não o suficiente para pegar a aula de funcional na sala, que começa às 6h. Na quinta precisei resolver umas coisas de manhã e resolvi ir de noite - mas quem disse que consegui sair cedo do segundo expediente, que encerra por volta das 22h? Na quinta não teria horário livre mesmo e na sexta-feira em diante me entreguei à preguiça e às pendências. Mil perdões.

Falhar no treino é algo do qual ninguém está livre, é claro acontece (ou nunca mais vou poder viajar?! haha) e ter técnicas para balancear isso, com uma alimentação correta por exemplo, ajudam e foram cruciais nestes últimos tempos. Mas as lições que ficam são outras duas: a de que é melhor fazer a academia de manhã mesmo e já se livrar dessa obrigação, seja qual horário disponível; e a outra é que cada dia sem treinar é um pouco de condicionamento que perco, então não dá para deixar a peteca cair. E é por isso que estamos numa nova semana, com um dia vindo após o outro. Sempre uma nova oportunidade de fazer a coisa do jeito certo.