Publicidade
Cotidiano
Notícias

‘A tarifa deve aumentar mais cedo ou mais tarde’, diz Artur Neto

Prefeito falou sobre a tentativa de greve de coletivos, proibição do tráfego de carretas e o aumento do valor da passagem do transporte coletivo, em Manaus 07/01/2013 às 19:25
Show 1
Prefeito fala sobre as medidas da prefeitura para o trânsito
Bruno Strahm Manaus (AM)

Em coletiva à imprensa na tarde desta segunda-feira (7) o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, esclareceu a ação conjunta da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e da Polícia Militar nos terminais e garagens dos ônibus desde às  5h da manhã. Ele aproveitou para anunciar o decreto lei que impede a circulação de carretas pelas ruas da cidade durante horário comercial e falou sobre a possibilidade de aumento na tarifa do transporte coletivo.

Na sede da prefeitura, localizada na Avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste da cidade, Artur disse que ainda não foi chamado pelos empresários do ramo do transporte coletivo para conversar sobre o reajuste da tarifa.

“Eu acho estranho, não iniciaram nenhuma conversa comigo. Mas volto a dizer que estou aberto, minha administração é a do diálogo. A tarifa deve aumentar mais cedo ou mais tarde por causa da inflação. Mas eu quero a contra partida das empresas, saber o que Manaus vai ganhar com isso”, completou.

Sobre o contrato de concessão do transporte público firmado entre empresas do setor e prefeitura que prevê um reajuste a cada mês de outubro, Arthur foi direto: “se há no contrato esta cláusula, ela não foi honrada pela administração anterior, que não teve coragem de aumentar a tarifa no último mês de outubro”.

Paralisação de coletivos

Arthur Neto explicou que havia recebido uma informação do Comando de Inteligência da Polícia Militar de que haveria uma paralisação do transporte por parte de alguns rodoviários.

“Há rumores de que seria um grupo de oposição da atual diretoria do sindicato. Greve para mim é quando toda a categoria decide por parar as atividades. Neste caso, pelo que soube eram 10 ou 12 indivíduos. Faço um apelo para que estas práticas sejam abandonadas. Que não deixem problemas menores se sobressair sobre os problemas de Manaus”, comentou Neto.

Carretas barradas

Em uma tentativa de aliviar o caos no trânsito da cidade, o prefeito anunciou o decreto lei que deve entrar em vigor daqui a uma semana.

“Eu já havia conversado com empresários que se utilizam deste transporte para abastecer seus centros comerciais para que não se utilizassem do mesmo durante os horários de pico. Não fui atendido e agora tomei medidas legais para o caso. As carretas que forem pegas pela fiscalização serão multadas e rebocadas”, finalizou Neto.