Publicidade
Cotidiano
Notícias

Abandonados após eleição, indígenas sofrem com surto de diarreia; quatro crianças morrem

Um surto de diarreia causou a internação de 178 indígenas das etnias Canamari e Mayoruna no último mês de outubro no município de Atalaia do Norte 06/11/2012 às 16:37
Show 1
Atalaia do Norte
Bruno Strahm Manaus (AM)

Após exercer o direito ao voto e serem abandonados no município de Atalaia do Norte, a 1.138 quilômetros de Manaus, indígenas das etnias Canamari e Mayoruna sofreram com um surto de diarreia e passaram a ser monitorados por uma força-tarefa do Ministério da Saúde. Ao todo, 178 pessoas apresentaram os sintomas da doença. Quatro crianças vieram a óbito.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, tudo começou quando cerca de 2.000 índios dessas etnias foram até o município e seus arredores para votar no dia 3 de outubro. Lá, muitos se encontraram em situação precária, tendo de beber inclusive água, sem tratamento, do próprio rio.

Sem recursos para voltar às suas respectivas aldeias, os índios que foram diagnosticados com diarreia tiveram de ser internados para o devido tratamento. Paulatinamente todos foram liberados conforme a melhora para retornar ao seu lugar de origem, no Vale do Javari.

Durante o surto, os órgãos competentes como a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), Fundação Nacional do Índio (Funai), Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e Ministério da Saúde uniram forças em uma ação conjunta de detecção dos índios doentes pelas redondezas de Atalaia do Norte, e o monitoramento de embarcações da região pelo período  de 45 dias a partir do registro oficial do primeiro caso pelos agentes de saúde no dia 15 de outubro.

Votos em troca de gasolina

Conforme noticiado por A CRÍTICA, os índios saíram de suas aldeias para votar na sede de Atalaia do Norte. Conforme denúncias feitas pelo líder do Vale do Javari, Jader Marubo, os indígenas foram "aliciados" pelo candidato eleito Nonato Tenazor (PDT), que teria trocado votos por gasolina. Tenazor negou a trama.