Publicidade
Cotidiano
Notícias

Abatedouros em péssimas condições sanitárias são fechados no interior do AM

Segundo denuncias, o abatedouro de Eirunepé era cercado por um lixão, e os animais eram abatidos no chão, onde havia uma mistura de vísceras e restos de bois. 07/05/2013 às 17:24
Show 1
Abatedouros não apreentavam as mínimas condições de higiene e colocavam em risco o consumo da carne de boi
acritica.com Manaus (AM)

Após a interdição do abatedouro do município de Envira - a 1.216 quilômetros de Manaus - pela Comissão de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav), o abatedouro de Eirunepé - a 1.160 quilômetros da capital - também será fechado. O local que abastece toda a cidade está localizado próximo ao lixão e não possui o mínimo de estrutura e higiene para o abate animal e o transporte da carne.

De acordo com o diretor-presidente da Codesav, Sérgio Muniz, no dia 27 de abril, após uma fiscalização no local, o matadouro de Envira foi interditado por não oferecer higiene no processo de abatimento do gado, além de não possuir as ferramentas e utensílios necessários para o processo.  Segundo Muniz, houve uma reunião entre o órgão e a prefeitura da cidade onde estes foram comunicados sobre as irregularidades e por consequência o fechamento do local. “Disponibilizamos um técnico para ajudar e prestar orientações e um veterinário. O abatedouro só voltará a funcionar quando fizerem os reajustes exigidos. Espero que isso ocorra o mais breve possível, mas tem que ser feito”, comentou.


2º fechamento

Após essa ação, os técnicos da Codesav seguem para o município de Eirunepé, onde a situação do abatedouro é crítica. De acordo com informações dos vereadores, no município todo o processo é irregular, desde o abate do gado ao transporte da carne. O abatedouro está a poucos metros do lixão a céu aberto e há um cemitério de cabeças de gado espalhadas pelo terreno. Essa mesma carne que abastece a população é usada como alimento no hospital da cidade.

Em março deste ano um grupo de vereadores de Eirunepé apresentou um dossiê ao deputado Sidney Leite e à secretária de saúde do interior, Adriana Moreira, na sede da Secretaria de Estado de Saúde (Susam). O documento denunciava o abatedouro municipal que funciona sem nenhuma condição de higiene colocando em risco quem consome a carne. “A equipe já está pronta para ir para Eirunepé, estamos aguardando apenas a disponibilidade de uma aeronave. Esse abatedouro também será fechado”, afirmou Muniz.