Publicidade
Cotidiano
Abusos na Venezuela

Abusos em território venezuelano revoltam turistas brasileiros

Relatos de amazonenses que foram à Venezuela dão conta de que até assassinatos ocorrem no país vizinho; denúncias serão levadas ao Itamaraty 27/02/2013 às 07:46
Show 1
As praias venezuelanas, principais destinos dos turistas brasileiros, não compensam os transtornos da viagem, segundo relatos
Náferson Cruz Manaus

Após matéria veiculada em A CRÍTICA no domingo(24), que mostrou a situação de brasileiros que passam por constrangimentos durante a viagem à Venezuela, inúmeros depoimentos de leitores e vítimas de extorsões praticadas pela Guarda Nacional e pelo Exército da Venezuela relatam outras situações de aflição vividas no país vizinho.

Entre os problemas sofridos pelos turistas brasileiros, segundo relatos das vítimas, estão:  falta de educação dos policiais, as abordagens truculentas, mulheres humilhadas com revistas íntimas feita por soldados, muitos assaltos e até assassinatos.

Entre as cidades mencionadas pelas vítimas, onde há maior incidência de crimes estão Anaco, El Tigre e Santa Helena de Uairen, esta última, primeiro ponto de abordagem quando se sai do território brasileiro. Na maioria dos casos, os brasileiros são ameaçados – de serem presos ou terem o veículo apreendido - caso não colaborarem com o “agrado” pedido pela polícia venezuelana. Quando não, os turistas são vítimas de quadrilhas das estradas.

O assunto teve destaque na sessão plenária da Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) na manhã de terça-feira(26), a qual contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (ALE-RR), deputado Chico Guerra (PSDB). Em pronunciamento, ele citou, inclusive, casos de assassinatos nas estradas.

Denúncia

Após as audiências que devem ocorrer em ambos Estados (Amazonas e Roraima), um documento será levado ao Palácio Itamaraty, em Brasília, a fim de que providências sejam tomadas. O presidente da Comissão de Direito do Consumidor da ALE-AM, deputado Marcos Rotta (PMDB),  disse que, há dois anos, chegou a encaminhar um ofício relatando a situação ao Ministério das Relações Exteriores e para a embaixada brasileira na Venezuela, mas até hoje, não obteve resposta. “Agora, diante de uma farta documentação e com a união dos Estados do Amazonas e Roraima, vamos aumentar o poder de pressão”, disse o parlamentar. 

De acordo com a Secretaria Extraordinária de Assuntos Internacionais, em 2012, entraram na Venezuela mais de 30 mil brasileiros. No final do ano há um número ainda maior de turistas visitando a localidade.

Audiência marcada para 15 de março

stá pré-agendada para 15 de março a primeira audiência pública da Frente Parlamentar formada por deputados das Assembleias  do Amazonas (ALE-AM) e de Roraima (ALE-RR) para discutir a insegurança vivida pelos turistas dos dois Estados que seguem viagem pela estrada BR-174 com destino à Venezuela. A informação é do deputado Chico Guerra (PSDB-RR), que esteve em Manaus nos últimos dois dias tratando do assunto com os deputados da ALE-AM.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALE-AM, Abdala Fraxe (PTN), comentou que após a audiência de Boa Vista, os parlamentares dos dois Estados se reunirão em Manaus para discutir o assunto.

A proposta, diz Abdala, é gerar um relatório para servir de argumento às discussões com a Comissão de Relações Exteriores na Câmara dos Deputados em Brasília.  Chico Guerra  lembrou que, há algum tempo, um motorista da Eucatur que ia para Margarita foi morto.

Ainda segundo ele, na semana passada um empresário de Boa Vista foi assassinado. “É preocupante essa situação porque chegamos a ponto de assassinatos. É lamentável como o Itamaraty trata essa questão não só na Venezuela, mas no Suriname, na Guiana Francesa e na Guiana Inglesa onde o descaso com a segurança dos brasileiros é muito grande”, comentou.