Publicidade
Cotidiano
Notícias

Acidentes são favorecidos pelas péssimas condições da rodovia AM-070

Buracos na pista, falta de sinalização e acostamento, mato e tráfego intenso são os problemas da Manaus-Manacapuru 06/08/2012 às 08:31
Show 1
Veículo teve o pneu furado após motorista passar por um buraco na pista
jornal a crítica Manaus

Os motoristas que usam a rodovia Manoel Urbano (AM-070), a Manaus-Manacapuru, denunciam que 85% dela não oferecem segurança. Buracos, pavimentação ruim, mato alto na beira da pista, falta de acostamento e de fiscalização do transporte de cargas, além da sinalização precária, contribuem para  acidentes graves e colisões todos os fins de semana.

Os trechos mais críticos começam a partir do km 37, apesar de que já bem no início, no km 12, na saída do Cacau Pirêra, no município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), buracos e irregularidades na lateral da pista já indicam como vai ser a viagem.

“Faz mais ou menos dois meses, havia uma caçamba e homens tapando buracos, nos quilômetros próximos aos balneários. Mas, o serviço foi mal feito. Os caminhões de carga ou caçambas passam e o terreno cede, devido ao peso dos carros”, disse o taxista José Augusto, 46, que trafega todos os dias pela rodovia.

Na comunidade Nova Esperança, na altura do km 18, além dos buracos, as laterais da pista estão deterioradas, obrigando o motorista a trafegar pelo  meio da pista. Nos km 28 e 29 a situação é crítica porque, além da vegetação que cresce em direção à estrada, há buracos seguidos.

Na entrada do ramal da praia do Açutuba, na altura do km 32, ha pelos menos oito buracos seguidos.

Motoristas contaram que há buracos com profundidade de aproximadamente 20 centímetros. “Como vocês perceberam, em algumas partes da estrada, o limite de velocidade é de 60 quilômetros por hora e em outros 80. Então, a essas velocidades, quando você vê o buraco já está em cima e não dá tempo de desviar. Os motoristas que desviam, jogam o veículo para o meio da estrada, aí meu amigo, é um prato cheio para a morte”, relatou o motorista Cleuto Vasconcelos, 34, acrescentando que, se o governo não quer duplicar a rodovia que faça recapeamento total. “Tapar os buracos não funciona”, disse.

Outro trecho crítico está no km 40, onde, há duas semanas um veículo, modelo Peugeot 307, capotou várias vezes, ao desviar de buracos. “Quem faz o trajeto de Manaus para Manacapuru ou vice-versa, sabe que é comum ver motoristas com os carros com o pneu furado ou algo semelhante”, disse o funcionário público Jorge Luís Saraiva, 28, que, com frequência, utiliza a rodovia.

Já os taxistas em Manacapuru contaram que nem as festas no município impulsionam a melhoria da rodovia. “Já transportei vários turistas de Minas Gerais e do Nordeste para o Festival de Cirandas e todos me perguntam por que as poucas estradas que temos são tão ruins”, disse o taxista Valdinísio Sandoval, 53. Ele contou também, que os kms 61 e 73 não possuem sinalização. “O turista sabe em que quilômetro está porque está escrito em placas de bares ou letreiros de fazenda e à noite o perigo aumenta”, disse.

Obras iniciam no fim do mês
A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) informou que a duplicação da rodovia Manuel Urbano deve começar até o final de agosto, quando a licitação para a escolha da empresa que fará o serviço estará na fase final. “A  Comissão Geral de Licitação analisa as  propostas apresentadas, devendo o vencedor deste certame ser conhecido até a próxima semana. A partir de então e em um prazo máximo de 15 dias será assinado o contrato com a empresa vencedora e emitida a Ordem de Serviço pela Seinfra para que as obras tenham início de imediato”, informa nota da assessoria de imprensa do órgão.

O projeto original de duplicação da AM-070 passou por algumas adequações por conta da última enchente, mesmo assim os trabalhos terão início ainda neste mes de agosto.

Quanto aos buracos e processos erosivos verificados ao longo da rodovia, a Seinfra informa  que “todos serão trabalhados, até porque com o processo de duplicação da pista, toda a base e sub-base serão recuperados e colocado asfalto novo. O projeto prevê todas as questões levantadas anteriormente, inclusive a sinalização, que ficará a cargo do departamento Estadual de Trânsito - Detran/AM. O prazo de realização da obra é de dois anos”,  finaliza a nota.

Fluxo grande
De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas aproximadamente 4 mil veículos trafegam diariamente pela estrada, sendo que este  número duplica nos fins de semana. A sinalização será feita após a duplicação.