Publicidade
Cotidiano
Notícias

Advogado acusa agente pela morte de detento em penitenciária do Amazonas

Josiel Neves de Souza morreu na segunda-feira, 31 de dezembro e nesta terça-feira (1º) a família velou seu corpo na rua Bela Vista, no bairro Grande Vitória, Zona Leste de Manaus  01/01/2013 às 20:29
Show 1
Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal fica no Centro de Manaus
Eloisa Vasconcelos/ Maria Derzi Manaus (AM)

O advogado Francisco Boary denunciou, nesta terça-feira (1º) a morte de Josiel Neves de Souza, 18, em consequência de um suposto espancamento sofrido na cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, na avenida sete de Setembro, Centro de Manaus. Um agente penitenciário seria o responsável pela agressão ao detento.

Josiel Neves  de Souza respondia por crime de tráfico de drogas. Ele morreu na segunda-feira (31), no Hospital 28 de Agosto onde estava internado. Nesta terça-feira (1º), a família velou seu corpo na rua Bela Vista, no bairro Grande Vitória, Zona Leste.      

Segundo o advogado, Josiel já havia denunciado a ele que estava sendo perseguido por um agente penitenciário. “Meu cliente ficou adoentado e precisou ser levado para a enfermaria. O agente penitenciário que o perseguia foi quem o levou para o atendimento médico. Ele saiu andando e quando retornou estava em coma. Ficou assim por seis dias e morreu ontem (dia 31 de dezembro)”, disse Boary. 

O advogado informa ainda que seu cliente “foi algemado a uma grade e espancado pelo agente até desmaiar”. Boary conta ainda que “foi noticiado que ele tinha sido espancado pelos próprios detentos, mas descobrimos que, na verdade, ele foi espancado pelo agente penitenciário”, afirma o advogado.

Sindicância
O secretário executivo-adjunto de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) Bernardo Encarnação disse que o detento “entrou na Raimundo Vidal no dia 8 de dezembro, passou mal numa cela de triagem e foi levado para a enfermaria. Em seguida, para o Hospital de Custódia e de lá para o 28 de agosto,  onde ficou internado” . 

Ao ser perguntado sobre a acusação de que Josiel teria sido morto por um agente penitenciário, Encarnação disse que esta  informação “não constava na secretaria”, mas que uma sindicância será aberta para apurar as circunstâncias da morte do detento.

Família
A reportagem tentou falar com a família, por telefone, e indo a residência dos familiares, mas não conseguiu entrevistar nenhum dos parentes de Josiel.