Publicidade
Cotidiano
Notícias

Ajuda prometida à famílias vítimas de incêndio em Manaus não foram cumpridas

Muitas famílias que perderam suas casas, no incêndio que atingiu a Matinha em abril de 2012, não receberam auxílio-aluguel prometidos até hoje 07/12/2012 às 07:58
Show 1
Márcio mostra o local onde ficava a casa dele, na Matinha, que foi queimada
Náferson cruz ---

Moradores da comunidade do Bariri, no bairro Presidente Vargas (Matinha), Zona Sul, que tiveram as casas destruídas pelo incêndio ocorrido em abril deste ano, relataram que estão há dois meses sem receber auxílio por parte do poder público.

O auxiliar de serviços gerais Márcio André Paiva, 38, é um dos mais prejudicados. Desde o acidente, ele passou morar com a mulher e dois filhos numa quitinete, próximo de onde morava. Márcio disse que desde setembro a prefeitura deixou contribuir com o auxílio-aluguel de R$300. “Eles prometeram ainda que iriam solucionar nossa situação o mais rápido possível, mas até agora nada”, lamentou.

Outro ponto destacado pela comunidade é em relação à indenização por parte do Estado, por meio do Programa Socio Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). De acordo com Márcio Paiva, até agora não houve negociação entre as partes.

Moradores receberam só colchões

Com o incêndio, mais de 80 casas foram destruídas em abril, na Matinha. A única doação feita, segundo os moradores, foi de colchões. Quem não conseguiu espaço cedido pelos moradores, recebeu apoio de outras entidades, como aconteceu com o universitário Matheus Nogueira, 22, que desde o ocorrido passou a morar nas dependências da igreja Adventista do 7º Dia, localizada no bairro. “Se não fosse a comunidade, estava morando na rua”, disse.

O Governo do Estado informou que continua remanejando as famílias que moram em áreas alagadas sob influência do Prosamim, em 11 bairros. Já a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) informou que continua atendendo as famílias  que perderam as casas no incêndio ocorrido na Matinha.