Publicidade
Cotidiano
Notícias

Alunos de escolas públicas contam suas rotinas de estudos até a aprovação no vestibular

Para garantir uma vaga na universidade, eles abriram mão durante três anos de várias oportunidade des lazer em prol de seus objetivos 23/01/2016 às 12:31
Show 1
Além das leituras e resumos, a internet também foi uma boa aliada no processo de preparação de Layana Alfaia, 18, que passou em 5º lugar para o curso de Direito da Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
Luana Carvalho Manaus (AM)

Eles abdicaram de tardes e noites livres em que poderiam estar dormindo, assistindo séries ou se divertindo com os amigos. Dedicaram-se durante três anos por um único objetivo: passar no vestibular. Loyana, Armando, Clara e Luís Felipe representam centenas de alunos de escolas públicas do Amazonas que conseguiram uma  vaga no tão sonhado ensino superior.

Em 5º lugar no ranking de aprovados para o curso de direito pelo Sistema de Ingresso Seriado (SIS) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Loyana Cunha Alfaia, 18, agora comemora o ingresso na faculdade. A rotina nunca foi das mais tranquilas, mas foi recompensada por todo o esforço.

“Eu ficava na escola das 7h às 12h. Chegava em casa por volta das 13h, almoçava, fazia meus deveres e em seguida estudava por pelo menos uma hora todos os dias. Quando chegava à noite, eu ia para o cursinho pré-vestibular”, relata a ex-aluna do Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM 1) de Petrópolis, na Zona Sul.

Além dos livros e inúmeros resumos preparados por ela, a Internet também foi uma boa aliada no processo de preparação. “Assisti muitos vídeos pela Internet que me renderam boas anotações. Até mesmo quando eu estava lavando louça, ligava o computador e colocava um vídeo de uma aula de biologia”, relata.

O mesmo sentimento de vitória é compartilhado por Luís Felipe Araújo, 17, que passou para o mesmo curso e estudava na mesma escola que Loyana. “Para mim foi uma emoção única, pois foi a coroação de um ano de intensa dedicação aos estudos. O sonho dos meus pais era me ver em uma universidade pública e além de estar feliz por dar um grande passo, estou feliz também por retribuir a eles o apoio”.

Quer saber mais sobre essas histórias? Leia a reportagem completa no Jornal A Crítica deste domingo (Pág. C3).