Publicidade
Cotidiano
DADOS

Amazonas conseguiu reduzir em 64,8% casos de HIV por transmissão vertical

As taxas de detecção de casos da doença, que acomete 830 mil brasileiros, passaram para 18,5 casos por 100 mil habitantes em 2016 01/12/2017 às 15:11
Show teste hiv
De janeiro a outubro deste ano foram registrados cinco casos de HIV por transmissão vertical (Foto: Agência Brasil)
acritica.com* Manaus (AM)

Dados divulgados hoje (1º) pelo Ministério da Saúde indicam que, no ano passado, houve uma redução de 5,2% na taxa de detecção dos casos de aids (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) no país, na comparação com 2015. Conforme o Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, as taxas de detecção de casos da doença, que acomete 830 mil brasileiros, passaram para 18,5 casos por 100 mil habitantes em 2016, contra índice de 19,5 no anterior.

A melhora no panorama da doença também foi constatada no índice de mortalidade, diminuindo de 5,7 óbitos por 100 mil habitantes para 5,2 óbitos em 2016. Se considerado desde 2014, o recuo foi da ordem de 7,2%.

De janeiro a outubro deste ano foram registrados cinco casos de HIV por transmissão vertical. No ano passado foram notificados 14 casos. A coordenadora estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais, Cristiane Benevides, atribui a redução ao trabalho que tem sido realizado em parceria com as secretarias municipais de saúde e organizações não governamentais para que as grávidas realizem o teste de HIV e sejam diagnosticadas precocemente para que o vírus não seja transmitido.

“Temos reforçado a importância do exame durante o pré-natal para o diagnóstico. Para aquelas mulheres que já têm a doença, orientamos que façam o acompanhamento correto com a equipe de saúde para que o bebê nasça saudável”, disse a coordenadora de IST/AIDS e Hepatites Virais setor que atua vinculado à Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Descentralização

 Além disso, a descentralização dos serviços de diagnóstico e tratamento dos pacientes com HIV também contribuiu para que o estado alcançasse esse resultado. “Hoje, o teste rápido para HIV e também outras doenças sexualmente transmissíveis como Sífilis e Hepatites Virais estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde, onde as mulheres realizam o pré-natal e também nas maternidades”, destacou.  

A taxa de detecção de HIV em gestantes também reduziu. Em 2015, foram notificados 4 casos para cada 1.000 bebês nascidos. Em 2016 esse número caiu para 3 casos para cada 1.000 crianças nascidas. Os dados de 2017 estão em análise para posterior divulgação. “A meta é chegar a zero. Não queremos nenhuma criança nascendo com HIV”, ressaltou.

Programação

Nesta sexta-feira (1º), Dia D da campanha, a partir das 15h30, equipes das Organizações Não Governamentais (ONGs), Coordenação Estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Pessoas com HIV da Assembleia Legislativa e Núcleo de IST/Aids e Hepatites Virais, e da Secretaria Municipal de Manaus (Semsa), estarão reunidas no Largo São Sebastião, no Centro, zona sul de Manaus, para o “Abraço Simbólico” em homenagem às pessoas que convivem com a doença.

A programação inclui, ainda, uma ação de grafitagem em painéis, com mensagens e desenhos sobre a importância do cuidado e da prevenção do HIV/Aids e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Essa atividade será desenvolvida por jovens que fazem parte do programa de formação de lideranças, realizado por meio de um termo de cooperação interfederativa desde 2015. A Semsa também estará oferecendo testes rápidos para HIV e as ONGs, uma exposição fotográfica de pessoas vivendo com HIV/Aids.

*Com informações de assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade