Publicidade
Cotidiano
PESQUISA

Amazonas terá primeira Unidade Fluvial de Fiscalização e Pesquisa da América Latina

Orçada em R$ 3 milhões, a unidade fará análises da fauna e flora, água e madeira. A embarcação está prevista para entrar em atividade em março de 2018 06/12/2017 às 14:52
Show 11d410b9 5685 4e92 b2c8 3a35d658159d
Foto: Márcio Silva
Rebeca Mota Manaus (AM)

O Amazonas terá a primeira Unidade Básica Fluvial de Fiscalização e Pesquisa Cientifica da América Latina. Orçada em R$ 3 milhões com recursos federais, a unidade fará análises da fauna e flora, água e madeira. A embarcação está prevista para entrar em atividade em março de 2018.

O presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Carlos Augusto de Azevedo, desembarcou em Manaus, nesta quarta-feira (6) para acompanhar as obras da primeira unidade. Ele foi recebido pelo presidente do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), Márcio André Brito.

“Serão oferecidos todos os serviços metrológicos para questão de bomba de gasolina, calibração de balança. Terá um laboratório para água e alimentos. Então vamos poder testar a qualidade da água  e dos alimentos para ajudar os produtores a qualificar os produtos com o selo amazônico para poder obter um valor maior no mercado  viabilizando a exportação. Os projetos de pesquisa estarão ligados à convênios com a Alemanha, os Estados Unidos e a China",  revela o Dr. Carlos Azevedo.


Foto: Márcio Silva

Toda a demanda de pesquisa científica era realizada no laboratório do Rio de Janeiro e com a nova Unidade será feito na própria embarcação. Algumas das vantagens destacadas pelo o presidente do Inmetro estão em poder aumentar a quantidade de pesquisas realizadas por mês,  diminuir custos e suprir as necessidades do Amazonas.

“A vantagem é que vamos poder fazer as pesquisas aqui mesmo e depois comparar com os estudos do Rio de Janeiro. Aqui nós temos uma lancha de 22 metros, laboratórios metrológicos e de pesquisa que estão sendo finalizados", explica.

A tripulação total da Unidade será de 10 pessoas entre pesquisadores  e metrologistas que dependerá de cada missão. Em torno de R $ 300 mil por mês será o valor do investimento para a manutenção  e operação da embarcação. "Os pesquisadores que vêm de fora vão contribuir com um valor que ajudará na manutenção ou que suprirá a operação durante todo o ano".


Foto: Divulgação

O presidente do Ipem-AM,  Márcio Brito,  afirma que a Unidade fluvial de pesquisa irá contribuir com a embarcação de fiscalização que já existe no Estado, ajudando produtores do interior do Amazonas a exportar seus produtos.

“Nós, muitas vezes, não conseguíamos fazer a fiscalização no interior  por não possuímos o laboratório de pesquisa. Então agora podemos dar apoio a unidade de fiscalização. Essa nova unidade tem um segmento inovador  que é o projeto de vanguarda voltado ao desenvolvimento de pesquisa e econômico do interior. Existem produtores que não conseguem exportar seus produtos por barreiras técnicas, é muito caro ter um selo do Inmetro e agora vamos poder ajudá-los", ressalta.