Publicidade
Cotidiano
NOVO GOVERNADOR

Amazonino entra na Justiça para que seja empossado pela ALE imediatamente

'O retardamento da posse é ilegal, abusivo e representa violação do direito tanto do Amazonino quanto do Bosco Saraiva', defendeu advogado Yuri Dantas 03/10/2017 às 11:13 - Atualizado em 03/10/2017 às 14:13
Show a
(Foto: Antônio Lima)
acritica.com Manaus

O governador eleito Amazonino Mendes (PDT) entrou, na manhã desta terça-feira (03), com um mandado de segurança com pedido de liminar, no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) para que a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) conceda a posse antes da data estipulada pela Casa Legislativa.

Os advogados argumentam que a ALE-AM é obrigada a dar posse dos titulares dos poderes executivo logo após a diplomação, que foi realizada ontem (02).  “o retardamento da posse é ilegal, abusivo e representa violação do direito tanto do Amazonino quanto do Bosco Saraiva (PSDB) quanto ao exercício do mandato para o qual eles foram eleitos nas eleições suplementares”, explica o advogado Yuri Dantas.

De acordo com o jurista, a posse marcada apenas para a semana que vem, no dia 10, causa dano “irreparável” aos eleitos. “Mantê-los afastados do mandato quando já deveriam estar exercendo, exercendo esse mandato é algo que não tem como devolver depois. Os dias que passarem não vão ser devolvidos para o Amazonino e para o Bosco Saraiva”, afirma Dantas.

O mandado de segurança também pede que seja realizada a posse em até seis horas e que a expectativa é que seja decidido pelo TJ-AM ainda hoje.

ALE-AM
O presidente da ALE-AM, Abdala Fraxe (PODE), havia dito para a imprensa local que a posse seria no dia 05 deste mês e acabou se contradizendo ao determinar a realização apenas para o dia 10, tendo como justificativa uma reunião da Mesa Diretora que definiu a data.