Publicidade
Cotidiano
Notícias

Amazonino inaugura Paço Municipal e Artur Neto interdita

No terceiro dia de gestão na Prefeitura de Manaus, Artur Neto fechou o prédio recém-inaugurado, alegando problemas na última obra de Amazonino Mendes 04/01/2013 às 08:00
Show 1
O Paço Municipal começou a ser restaurado em 2006, mas as obras foram embargadas por conta de um impasse entre o Iphan e a prefeitura. No dia 30 de dezembro, Amazonino finalmente inaugurou o local, interditado ontem por Artur
Nelson Brilhante ---

Depois de passar mais de seis anos sendo restaurado, o prédio do Paço Municipal, última obra entregue pelo prefeito Amazonino Mendes antes de deixar o cargo, foi interditado ontem pelo atual prefeito, Artur Neto. A alegação é de que a obra foi entregue pela construtora sem estar concluída. De acordo com Artur, o prédio apresenta infiltrações e pelo menos três salas ficaram sem o devido acabamento no piso.

A antiga sede da Prefeitura Municipal, no Centro, foi restaurada para ser transformada no Museu da Cidade. Como último ato da administração de Amazonino à frente da prefeitura, o prédio foi entregue, com muita festa, na noite do dia 30 de dezembro. A obra foi executada pela construtora goiana Biapó, especializada em restaurações.

“A empresa entregou a obra sem estar completamente pronta. Mandei interditar para que o trabalho seja terminado e, depois, reaberto, sem tirar o mérito do executor (Amazonino Mendes), mas simplesmente entregando uma obra pronta. É isso que exigimos”, desabafou Artur.

O novo administrador de Manaus adiantou que este caso poderá não ser o último, deixando claro que outras construções entregues recentemente também estão sendo vistoriadas. “Vou chamar a empresa construtora duramente à atenção. Nós queremos que as coisas andem conforme o figurino”, avisou o prefeito.

Ele fez questão de afirmar que a decisão não tem a ver com qualquer retaliação ou intriga com a administração anterior. “É uma decisão apenas coerente. Por sinal, tenho dito repetidas vezes que vou evitar ao máximo perder tempo com briguinhas nem com quem deixou, nem com quem está exercendo cargo público. Tem muita coisa mais importante por fazer”, assegurou Artur.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).