Publicidade
Cotidiano
Notícias

Aparelho que ajuda no diagnóstico de câncer anal chega a Manaus

O Hospital Universitário Getúlio Vargas realiza todas as terças e quintas-feiras, das 16 às 18h, atendimento às pessoas com risco de desenvolvimento do câncer para prevenir e diagnosticar a doença 17/03/2012 às 10:32
Show 1
O proctologista Ivan Tramujas da Costa falou sobre o novo colposcópio
Ama Paula Sena Manaus

Por não estar entre os tumores mais prevalentes, o câncer anal é negligenciado e acaba sendo descoberto tarde demais. Para mudar esse quadro e prevenir a doença o Ambulatório Araújo Lima, do Hospital Universitário Getúlio Vargas, está realizando todas as terças e quintas-feiras, das 16 às 18h, atendimento às pessoas com risco de desenvolvimento do câncer para prevenir e diagnosticar a doença.

A novidade é um novo aparelho para a realização de exames de diagnóstico e prevenção, chamado Colposcópio Anal, que  foi adquirido pelo Hospital no fim de 2011. Segundo o proctologista, doutor Ivan Tramujas da Costa, o trabalho de prevenção da doença acontece desde  2002 no HUGV, mas com o novo equipamento a doença pode ser diagnosticada mais rápida. “Desde que iniciamos com esse trabalho um total de 20 casos de câncer anal foram diagnosticados em Manaus. Sabemos que esse número pode ser maior, mas é preciso que a população tenha conhecimento desse trabalho e procure os serviços”, disse o médico.

O médico explica que o exame é aberto principalmente aos grupos populacionais com maior probabilidade de desenvolver a doença como os portadores de verrugas anais, HIV positivos, homens que fazem sexo com homens, mulheres que praticam o sexo anal, mulheres que tenham tido ou tenham ferida ou câncer no colo do útero, transplantados de órgãos sólidos (rim, coração, pul mões e fígado), dependentes químicos e pacientes com Doenças Sexualmente Transmissíveis (sífilis, gonorréia, herpes genital, entre outras). “O atendimento preventivo a pessoas que pertençam a esses grupos de risco é primordial para detectar lesões iniciais do câncer anal, ainda em seu estágio não-maligno”, relata Tramujas.

Segundo ele, o vírus que causa o câncer anal é o mesmo que origina o câncer de colo de útero e os exames são feitos nos mesmos moldes dos programas de prevenção ao câncer de colo do útero. Um incentivo a mais para a detecção precoce é que se trata de um câncer com grande chance de cura: 80%.

Por meio de um estudo recente realizado pela Fundação de Medicina Tropical do Amazonas, em uma população de 400 pessoas examinadas (com integrantes dos grupos de risco) 35% apresentavam prevalência de lesões precursoras do câncer anal. Entretanto, entre as pessoas HIV positivas, essa prevalência aumentou para 50%. A cada dois pacientes HIV positivos examinados, um tinha lesão  precursora do câncer anal.