Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Apenas 50% dos portadores de Alzheimer recebem o diagnóstico e fazem tratamentos

O Alzheimer faz parte de um grupo de doenças chamadas demências, que surgem, principalmente, a partir dos 60 anos 20/09/2017 às 09:08
Show sdfojs
acritica.com

Na semana do Dia Mundial de Conscientização sobre o Alzheimer, que é nesta quinta-feira (21), o médico neurologista da Unimed Manaus, José Francisco Queiroz, chama a atenção da população para a importância dos cuidados preventivos, ainda na juventude, e da detecção precoce da doença. Neste mês de setembro, várias ações de conscientização estão ocorrendo em todo o mundo. O tema da campanha, neste ano, é “Lembre-se de mim”, uma referência ao fato de que menos de 50% dos portadores de Alzheimer recebem esse diagnóstico e têm acesso aos tratamentos disponíveis.

O Alzheimer faz parte de um grupo de doenças chamadas demências, que surgem, principalmente, a partir dos 60 anos. Devido o envelhecimento da população mundial, estima-se que, até 2050, 115,4 milhões de pessoas tenham Alzheimer. A doença atinge mais de 1 milhão de pessoas no Brasil.

O neurologista ressalta, entretanto, que os cuidados preventivos devem fazer parte da rotina das pessoas, independente da idade. “O Alzheimer é uma doença que atinge principalmente os idosos, mas a prevenção deve começar ainda na juventude”, declarou.

José Francisco explica que a prevenção contra a doença passa pela adoção de um estilo de vida saudável, com prática de exercício físico regular, alimentação balanceada, longe do tabagismo e sem excessos no consumo de bebidas alcoólicas.

De acordo com o médico, o Alzheimer é caracterizado pela perda progressiva da memória, da orientação de tempo e espaço e incapacidade de realizar tarefas simples do dia a dia.  “A pessoa começa a não lembrar, por exemplo, aonde guardou determinados objetos, como a chave do carro, ou mesmo esquecer nomes. Esses sintomas vão se agravando com o tempo”, frisou.

Ele diz que, apesar de o Alzheimer  causar o esquecimento, outras doenças, como deficiência de vitamina B12, hipotireoidismo e sequelas de Acidente Vascular Cerebral (AVC), podem também ter esse efeito. Por isso, é importante procurar um especialista para ter um diagnóstico preciso.

José Francisco ressalta que quanto antes a doença for diagnosticada, maiores as chances de retardar o agravamento dos sintomas. “O Alzheimer é uma doença que não tem cura, mas existem medicamentos para auxiliar os pacientes”, acrescentou. 

O médico destaca que o apoio da família é primordial para que o paciente diagnosticado com Alzheimer tenha qualidade de vida. “Vai ter momentos em que a pessoa vai deixar de lembrar-se dos próprios familiares. É preciso ter paciência e compreender que isso é consequência da doença”.

Prevenção ao Alzheimer 

- Exercício físico regular – ajuda a proteger contra a deterioração do tecido cerebral no hipocampo e em outras áreas críticas para a memória.

- Alimentação balanceada, rica em verduras e frutas e sem a ingestão de produtos industrializados.

- Cuidado com o sono – dormir pelo menos 8 horas por noite ajuda no funcionamento do cérebro, aumentando a capacidade para pensar e armazenar informação.

- Fazer atividades que estimulam o cérebro, como ler, brincar com jogos eletrônicos, jogo da memória e fazer palavras cruzadas.

- Reduzir o estresse do dia a dia (o estresse produz hormônios ruins para o cérebro) – tenha momentos de lazer com a família, faça atividades que proporcionem prazer.

*Com informações da assessoria de comunicação.