Publicidade
Cotidiano
Notícias

Apesar de produzir 15 milhões de televisores, 6,6% não possuía o aparelho em casa em 2013

No Estado que produz 15 milhões de televisores por ano para abastecer o mercado brasileiro, 6,6% dos domicílios ainda não possuem o equipamento. Os computadores ligados à Internet estão em apenas 28% dos lares amazonenses 29/04/2015 às 20:36
Show 1
Apesar de abastecer o mercado nacional de televisores, o Amazonas ainda possui 6,6% dos domicílios sem o equipamento, apontam dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2013, divulgada ontem
LUANA CARVALHO ---

O Polo Industrial de Manaus (PIM) produz, em média, 15 milhões de televisores anualmente, mas 6,6% dos domicílios do Amazonas não tinham  televisão em 2013, revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã de ontem.

Os dados mostram ainda que 45,2% dos domicílios do Amazonas não possuíam rádios e apenas 37,4% tinham computadores, sendo que somente 28,4% eram ligados à Internet. Dos sete Estados pesquisados, o Amazonas só ficou à frente do Pará (7,5% de domicílios sem televisão), Acre (com 9,1%) e Roraima (7,6% residências sem TV) em relação ao número de domicílios com televisores.

A PNAD é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios para chegar ao número total, onde no Amazonas foram pesquisados 3.786 mil domicílios e  13.023 mil pessoas. Ao todo, a pesquisa entrevistou   362.555 mil pessoas e 148.697 mil unidades domiciliares em todo o Brasil.

 Sinal de TV digital

Entre as regiões do Brasil, a Região Norte apresentou o maior percentual de domicílios sem recepção de sinal digital de televisão aberta, antena parabólica ou televisão por assinatura (34,3%).

Porém, entre os Estados das Regiões Norte, Nordeste e Sul, o Amazonas possuía o maior percentual de domicílios com recepção de sinal digital de televisão aberta, 37,8%.  O Estado ficou acima da média nacional, que foi de 31,2%. O menor percentual foi registrado na Região Sul (26,2%).

Considerando-se os domicílios com televisão, o Distrito Federal (49,3%), São Paulo (43,0%) e Rio de Janeiro (40,3%) apresentaram os maiores percentuais de recepção de sinal digital de televisão aberta, enquanto Alagoas (13,7%), Maranhão (13,1%) e Tocantins (11,8%), os menores.

Em 2013, o País tinha 65,1 milhões de domicílios particulares    permanentes, dos quais, 63,3 milhões (97,2%) possuíam televisão. A televisão por assinatura estava presente em 29,5% (18,7 milhões) dos domicílios com televisão, enquanto 70,5% (44,6 milhões) não dispunham desse serviço. O sinal digital de televisão aberta estava presente em 31,2% (19,7 milhões) dos domicílios, frente a 64,1% (40,5 milhões) sem essa cobertura.

Maioria se conecta pelo celular

A pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) apontou que a região Norte apresentou o maior percentual de domicílios que utilizavam o telefone móvel para acesso à Internet (75,4%), superando os usuários que navegam através do microcomputador (64,8%), em 2013.

No Amazonas, 39,6% dos domicílios utilizam Internet apenas por telefone móvel ou tablet, enquanto 11,1% utilizam por meio de microcomputadores.

A pesquisa mostrou, ainda, que, no Amazonas, 81,8% dos domicílios utilizavam a Internet de banda larga móvel, que fornece acesso de alta velocidade e sem fio a dispositivos portáteis, superando o uso de banda larga fixa (51,7%).

Em 2013, apenas 2,3% (725 mil) dos domicílios de todo o Brasil com Internet possuíam exclusivamente a conexão discada. A banda larga estava presente em 97,7% (30,5 milhões), sendo que, destes, 77,1% (24,1 milhões) conectavam-se em banda larga fixa e 43,5% (13,6 milhões) em banda larga móvel. Em 23,0% (7,2 milhões) dos domicílios existiam as duas modalidades de conexão.

A utilização do microcomputador como único equipamento para acesso à Internet prevalece na maioria dos domicílios brasileiros.

Em números

15 mi é a média do total de televisores que são  produzidos pelo Polo Industrial de Manaus (PIM) anualmente, mas 6,6% dos domicílios do Amazonas não tinham  televisão em 2013, revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).   Os dados mostram  que 45,2% dos domicílios do Amazonas não possuíam rádios e apenas 37,4% tinham computadores.

362.555 é o número de pessoas entrevistadas pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios para chegar ao número total, onde no Amazonas foram pesquisados 3.786 mil domicílios e  13.023 mil pessoas.