Publicidade
Cotidiano
Dinheiro, Economia, Organização Financeira, Finanças Pessoais, Tecnologi, Aplicativos, Orçamento Pessoal

Aplicativos auxiliam na organização das finanças pessoais

A simples tarefa de administrar as finanças pessoais fica mais fácil com o uso de ferramentas no celular ou no tablet. Conheça os itens que precisam constar no orçamento e alguns dos aplicativos disponíveis 05/01/2013 às 17:06
Show 1
Uso de aplicativos no celular e no tablet ajudam consumidores a ter acesso fácil ao orçamento
Priscila Mesquita Manaus

Administrar os ganhos e as despesas é uma tarefa que se impõe a todo trabalhador ou investidor que valoriza seu dinheiro. Apesar disso, muitas pessoas não conseguem controlar o que ganham e o que gastam todo mês por não terem o hábito de manter um orçamento simples, capaz de armazenar as informações valiosas da vida financeira.

Ainda desconhecido por grande parte dos brasileiros, o orçamento parece ser um “bicho de sete cabeças”, mas não é. Qualquer pessoa pode ter essa ferramenta em um caderno, no tradicional Excel ou em aplicativos para smartphones ou tablets.

No ano passado, a analista de produtos mobile do UOL, Diana Fournier, 24, começou a utilizar o aplicativo “Organizze” no iPhone e no computador. Acostumada a anotar seus gastos no papel e na “cabeça”, ela percebeu que o aplicativo aperfeiçoou o registro e o controle dos dados.

“Ainda não está 100%, porque às vezes esqueço de inserir os valores lá e perco um pouco o acompanhamento. Mas tenho ideia de quanto estou gastando e juntando. Acabo de me mudar para São Paulo e estou terminando de mobiliar o apartamento alugado onde moro”, afirma.

Ao mesmo tempo em que adquire os móveis, Diana está acumulando recursos para comprar seu próprio apartamento.

Como fazer
De acordo com o professor do departamento de Administração da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Sandro Breval, toda pessoa que possui renda deve fazer seu próprio orçamento para ter um controle efetivo das despesas.

Breval explica que um bom orçamento deve ter espaço para o detalhamento das fontes de receita (salário, renda de aluguel, pensão, entre outras) e das despesas. Como a destinação do dinheiro é diferente a cada mês, é importante dividir a categoria “despesas” em três sub-categorias: gastos fixos, gastos variáveis e gastos arbitrários.

*A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa