Publicidade
Cotidiano
Notícias

Aplicativos utilizados para facilitar a vida cotidiana ganham cada vez mais adeptos

A vida por apps: divididos em categorias de acordo com seus objetivos específicos, os softwares também podem ser funcionais, voltados para tarefas simples 06/10/2015 às 13:01
Show 1
Flávio Maluf explica que cresce no País o número de “viciados” no uso de apps para smartphones
acritica.com Manaus (AM)

O mundo atual se resume em uma palavra: tecnologia. O dia a dia das pessoas está se tornando cada vez mais informatizado e, dentre os vários recursos criados para facilitar a vida cotidiana, estão os aplicativos encontrados principalmente nos smartphones.

O empresário Flavio Maluf explica que os aplicativos mobile nada mais são do que softwares (programas) desenvolvidos para desempenhar algum objetivo específico. Existem aplicativos gratuitos e pagos. A grande maioria é criada para rodar em aparelhos com sistema operacional Android (como os da Samsung, LG e outros) ou IOS (sistema exclusivo da empresa Apple).

Os smartphones vieram ao mundo há cerca de vinte anos, lembra Maluf, mas só a partir de 2007 é que os aplicativos ganharam destaque como “acessórios” dos aparelhos. Eles acabaram promovendo entretenimento, saúde e maiores facilidades e comodidades.

A consultoria Flurry Analytics, empresa do Yahoo especializada em estudos sobre tecnologias, divulgou recentemente um ranking de países “viciados” em aplicativos acessados via smartphone. A pesquisa considerou como viciada a pessoa que abre quaisquer aplicativos por, no mínimo, sessenta vezes ao dia. O Brasil surpreendeu e foi apontado como o quinto país com o maior número de pessoas viciadas em apps do mundo todo, ressalta Flavio Maluf. Segundo o estudo, cerca de 40% dos 204 milhões de brasileiros são “viciados” nos aplicativos de seus aparelhos, e os programas de redes sociais e de transmissão de mensagens são os mais acessados.

Os apps podem ser divididos em diversas categorias de acordo com seus objetivos específicos ou funcionalidade, como: finanças, educação, entretenimento, negócios, saúde, etc. Existem ainda os aplicativos funcionais que são voltados para tarefas simples. Flavio Maluf cita os exemplos daqueles que avisam ao usuário quem são os aniversariantes do dia e permitem a opção de parabenizá-los com mensagens prontas.

Na categoria finanças, existem aplicativos de bancos que permitem aos usuários a realização de pagamentos, transferências bancárias, visualização da movimentação da conta, extratos, entre outros serviços. Eles acabam economizando o tempo que se levaria se deslocando a uma agência bancária e oferecem maior praticidade e agilidade.

Na categoria Educação, estão presentes muitos apps de revistas, tradutores, testes de conhecimento, cursos, e outros que podem proporcionar aprendizagem e desenvolvimento cognitivo e deixá-lo informado sobre as notícias mais relevantes do dia.

Na saúde, os apps disponíveis exercem várias funções, desde controle de horários para os remédios até programas para gerenciar uma alimentação saudável e personal trainers para exercícios físicos, etc.

Destaque

A Google está aumentando o limite de tamanho dos arquivo APK (usados em aplicativos) de 50MB para 100MB. Isso significa que os desenvolve-dores podem publicar APKs com até o dobro do tamanho que estavam acostumados a usar, e assim não terão que se preocupar tanto em criar aplicações mais “leves”.