Publicidade
Cotidiano
Notícias

Após cirurgia Amazonino vai ter que mudar o modo de vida

Prefeito terá que deixar o cigarro, mudar a alimentação e fazer exercícios diários 25/08/2012 às 07:26
Show 1
O prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PDT), iniciou trâmites para empréstimo no ano de 2010, segundo Seminf
Lúcio Pinheiro ---

O secretário municipal de Saúde e amigo de Amazonino Mendes (PDT), Francisco Deodato, disse, ontem, que, após a cirurgia no coração que deverá ser feita na segunda-feira, o prefeito terá que mudar radicalmente o modo de vida dele, o que inclui deixar definitivamente de fumar. “Ele terá que abandonar o cigarro, mudar a alimentação e inserir na rotina diária atividades físicas que serão orientadas pela equipe médica que o acompanhará”, disse Deodato.

O prefeito de Manaus passará por uma cirurgia para desobstruir artérias do coração. Francisco Deodato acompanha Amazonino em São Paulo desde o dia 20, quando o prefeito deu entrada no Hospital Sírio-Libanês. O secretário, que é médico, disse que chegava hoje a Manaus, mas no domingo já estará de volta na capital paulista.

Segundo Deodato, a expectativa da equipe de médicos do Sírio-Libanês é que, após a cirurgia, Amazonino necessite ficar pelo menos mais duas semanas na capital paulista. “Ele deve permanecer no hospital até o final da semana para ter alta. Após a alta hospitalar, deve precisar de mais uma semana de acompanhamento do pós-operatório, ainda em São Paulo. A partir desse período, estará apto para retornar a Manaus. Obviamente, com todos os cuidados de quem fez uma cirurgia”, explicou o secretário municipal de Saúde.

Boletim

Na quinta-feira, a direção do Sírio-Libanês divulgou o primeiro boletim médico sobre o estado de saúde do prefeito. De acordo com a equipe que cuida do caso, um cateterismo apontou que Amazonino tem “obstruções significativas” nas artérias do coração. E deverá ser submetido à cirurgia de revascularização do miocárdio, conhecida como ponte de safena.

O boletim médico não diz quantas artérias do coração do prefeito estão obstruídas. A CRÍTICA apurou que pelo menos uma está com 80% de obstrução. Deodato disse que somente os médicos que tratam do caso podem falar sobre detalhes do diagnóstico. “As especificações, tanto do diagnóstico, quanto do tratamento, serão apresentadas numa próxima nota, que deve sair antes da operação”, disse o secretário. A assessoria de imprensa do Sírio-Libanês informou que não há previsão de quando será divulgado o segundo boletim.