Publicidade
Cotidiano
Notícias

Após funcionamento da ponte Rio Negro novos empreendedores investem em Iranduba

O anúncio da Cidade Universitária também contribuiu para um cenário favorável para novos investimentos nos setores de imóveis, comércios e serviços  03/11/2012 às 12:22
Show 1
Café Sabor da Terra vai inaugurar até o fim do mês na AM-070
Priscila Mesquita ---

Desde que a ponte Rio Negro foi inaugurada, em outubro do ano passado, a quantidade de empresas que vêm se instalando no Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) só cresce. As oportunidades de investimento que surgem na área comercial, no segmento imobiliário e na cadeia de serviços estão modificando o cenário econômico, tanto na sede do município como na rodovia Manoel Urbano (AM-070), que liga Manaus a Manacapuru. 

Um dos ramos de atividade que mais recebe aportes é o de alimentação. O grupo Alemã, que está na sede de Iranduba desde abril deste ano, foi a primeira grande rede de fast food a abrir uma unidade no município. Segundo o diretor da empresa, Raul Andrade, o investimento feito no restaurante foi de R$ 400 mil.


“O retorno está sendo bom. A loja já estava nos planos e ficou mais viável com a ponte. Estamos também estudando a possibilidade de abrir outros pontos em Manacapuru, Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Presidente Figueiredo”, afirmou Raul, que hoje administra sete lojas.

Outro empreendimento que deu certo foi o Café da Priscila, inaugurado no último mês de junho, no quilômetro 13 da AM-070. O sócio Daniel Carvalho conta que, aos domingos, o café regional já recebe um número maior de clientes que o restaurante do Rio Preto, o mais conhecido da rede.  

O investimento inicial foi de R$ 250 mil e foi realizado depois que a empresa começou a registrar redução de até 40% no movimento de clientes nas unidades do Rio Preto e da BR-174 (Manaus-Presidente Figueiredo).

“Eu e a Priscila, minha irmã, administrávamos essas duas unidades e sentimos uma queda durante dois meses, após a abertura da ponte. Um grande fluxo de pessoas começou a visitar o Iranduba, mas não tinham opção de café regional. Instalamos o restaurante e começamos a perceber o bom resultado logo após a inauguração”, explica.

De acordo com Daniel, o mercado de alimentação ainda oferece muito espaço para quem planeja operar no município. “Há público para lotar cinco ou seis cafés do nosso porte”.

Mais concorrência

Atento a essa demanda, o empresário Chiquinho Noé, que há 47 anos mora no Iranduba, vai inaugurar neste mês o Café e Restaurante Sabor da Terra, no quilômetro cinco. Para atender aos clientes que diariamente passam pela AM-070, ele resolveu investir aproximadamente R$ 1 milhão, recurso que também envolve a construção de campos de gramado sintético e uma loja de produtos agropecuários no mesmo terreno.

“Eu era granjeiro e produzia verduras em estufas, mas percebi que não podia mais criar galinha em uma área que se tornaria urbana. Estou produzindo tambaqui em tanque e suínos para baratear os custos do restaurante”, conta o empresário.