Publicidade
Cotidiano
Notícias

Arquiteto Oscar Niemeyer morre aos 104 anos no RJ

Internado desde novembro, Niemeyer estava sendo submetido a tratamento de hemodiálise e fisioterapia respiratória 05/12/2012 às 22:07
Show 1
Arte design do Memorial das Águas
acritica.com ---

O arquiteto Oscar Niemeyer, que estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio desde novembro, faleceu na noite desta quarta-feira (5). Segundo informações do último boletim médico, Oscar Niemeyer estava em estado grave e respirava com ajuda de aparelhos.

Niemeyer deu entrada no hospital em 2 de novembro e acabou ficando internado para tratar de hemorragia digestiva que afetou também a função renal. Fragilizado pela idade avançada, Niemeyer foi internado várias vezes nos últimos anos com desidratação.

Niemeyer completaria 105 anos no dia 15 de dezembro.

Memorial Encontro das Águas

Em Março, O governador do Amazonas, Omar Aziz, afirmou  que vai executar o projeto feito pelo arquiteto Oscar Niemeyer, denominado Memorial Encontro das Águas. O local, projetado para uma aera às margens do Rio Negro, em frente ao encontro das águas, na Zona Leste, será utilizado para a instalação do Fan Park, um dos itens do caderno de encargos assumido pelo Governo do Estado com a FIFA para a realização da Copa do Mundo de Futebol de 2014 em Manaus.

“O prefeito Amazonino Mendes está nos cedendo a área e eu também estou solicitando o projeto do Niemeyer feito lá atrás pelo ex-prefeito Serafim Corrêa”, disse Omar. Segundo ele, usar o projeto de Niemeyer para o Fan Park será bastante conveniente, uma vez que o Governo do Estado não precisará pagar por um novo. “Tendo um projeto feito pelo renomado Niemeyer na gaveta eu não vou contratar um projeto só para ter a cara do Omar. Não tem que ter a cara do Omar tem que ter a cara do Amazonas”.

O projeto do Memorial Encontro das Águas custou cerca de R$ 600 mil e foi concebido em 2005, na gestão do ex-prefeito Serafim Corrêa, mas não chegou a sair do papel. Consiste em um conjunto arquitetônico no topo de uma encosta denominado Mirante da Embratel, considerada a melhor vista da cidade para o encontro das águas dos rios Negro e Solimões. A parte superior do mirante é composta por um grande pavilhão em forma de oca destinado à exposição de espécies aquáticas da região amazônica, denominado “Memorial das Águas”, e no pavimento subsolo está projetado um mirante-restaurante, incrustado na rocha a uma altura de 40 metros, com vista panorâmica para o encontro das águas.

O único na região amazônica assinado pelo renomado arquiteto é o Memorial da Cabanagem, em Belém (PA).

O ex-prefeito Serafim Correa, que solicitou o projeto em 2005 lamentou a morte do arquiteto brasileiro e ressaltou a importância de o Amazonas ter uma obra com a assinatura de Niemeyer. “Mais do que nunca os governantes devem se unir para realizar esse projeto. É super importante para o Amazonas ter uma obra com a assinatura de um arquiteto renomado como ele. Ainda mais tendo um projeto pronto, como nós temos”, declarou.