Publicidade
Cotidiano
Notícias

Artur Neto debate proposta com líderes empresários

O candidato Artur Neto (PSDB), abre rodada de debates com empresários. O ex-senador Artur Neto foi o primeiro dos nove candidatos a prefeito de Manaus a participar de uma série de debates com representantes empresariais da cidade 21/07/2012 às 11:53
Show 1
O candidato Artur Neto (PSDB), abre rodada de debates com empresários
Jornal A Crítica Manaus

O candidato Artur Neto (PSDB), abre rodada de debates com empresários O ex-senador Artur Neto foi o primeiro dos nove candidatos a prefeito de Manaus a participar de uma série de debates com representantes empresariais da cidade. O candidato foi questionado sobre problemas estruturais como a situação do comércio no Centro da cidade e a proposta da criação de um Conselho de Notáveis. O encontro ocorreu no quarto andar da sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

Uma das principais reivindicações dos empresários, apresentada a Artur Neto, é a convocação de um grupo de empresários para ajudar o futuro prefeito a tomar decisões que afetem diretamente a economia da cidade, denominado de “Conselho de Notáveis”. A ideia partiu do presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ismael Bicharra Filho, e foi aceita por grande parte dos empresários.

O candidato afirmou que já adotou a ideia anteriormente em seu mandato como prefeito da cidade, entre 1989 a 1993. "Já usei o Conselho de Notáveis com a presença de trabalhadores, de lideranças legitimas de bairros, e representantes do parlamento municipal e da prefeitura. A ideia é interessante, pois nos ajuda em momentos de crise“, disse Artur.

Outra questão abordada pelos empresários foi a atual situação do comércio no Centro. Segundo Bicharra, ”foram registradas 8 mil demissões de janeiro a junho deste ano em Manaus“ e outros ”300 empresários do Centro estão sofrendo sérias dificuldades econômicas“, disse. Quanto as propostas sobre a revitalização do Centro, Artur foi categórico: ”Precisamos revitalizar aquele comércio. O Centro não pode continuar como está, ele já foi nosso cartão de visitas”, concluiu.