Publicidade
Cotidiano
Notícias

Artur Neto volta a falar sobre possibilidade de deixar o PSDB

“Não vou migrar para o PSB e nem para nenhum outro. Posso até encerrar minha vida política”, disparou o tucano na manhã desta terça-feira (19) 19/03/2013 às 14:17
Show 1
Artur Neto mira o ataque contra Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo, Estado que é contra a vantagem que o Amazonas possui no atual projeto sobre o ICMS
JOELMA MUNIZ* Manaus

O prefeito voltou a falar sobre sua saída do PSDB, a máfia chinesa que estaria perseguindo um secretário do seu governo em Manaus e sobre reajuste da tarifa do transporte coletivo durante visita às obras do mercado municipal Adolpho Lisboa na manhã desta terça-feira (19).

Em relação às ameaças sofridas pelo Secretário da Semex, Rafael Assayag que estariam ligadas à ação de uma máfia chinesa que atua na cidade, Artur acredita que brasileiros também estejam fazendo parte destas ameaças para intimidar o secretário.

Sobre o reajuste na tarifa de transporte coletivo, o prefeito reconhece que é inevitável haver o aumento no valor da passagem, até por conta do acordo existente entre a PMM e os empresários de reajustes a cada 12 meses. Artur só afirmou que o valor proposto pelos empresários de R 3,50 precisa ser reavaliado

O prefeito afirmou que as hipóteses de seu afastamento do PSDB e aposentadoria estão sendo avaliadas pelo tucano que admitiu estar descontente com os constantes ataques feitos pelo PSDB ao modelo econômico do Amazonas.

A ameaça de sair do partido depende segundo ele, do resultado da votação do Projeto de Lei (PL) que trata da unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que tramita no Congresso Nacional. Ele pede que os colegas de partido votem a favor da Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Apenas estou esperando, nesse episódio do ICMS, coerência e sobriedade do meu partido. Se votarem contra a diferenciação do ICMS, não vou nem discutir, vou mandar minha desfiliação e está acabada a conversa”, disse Artur.

O tucano mira o ataque contra Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo, Estado que é contra a vantagem que o Amazonas possui no atual projeto sobre o ICMS. “Não dou mais confiança de falar com o Alckmin. [...] Ele que faça o que quiser fazer da vida dele”, disse o prefeito.

Sem Partido

Entre as declarações dadas durante a visita que fez às obras de restauração do mercado Adolpho Lisboa, no centro de Manaus, Artur assegurou que caso deixe o PSDB, não pensa em migrar para outro partido.

“Não vou migrar para o PSB e nem para nenhum outro. Posso até encerrar minha vida política”, disparou.

*Colaborou a repórter do Jornal A Crítica, Carolina Silva