Publicidade
Cotidiano
Notícias

Artur Virgílio Neto tem votação histórica em Manaus

Ex-senador da República recebeu 603.483 votos no 2º turno, alcançando a maior votação já recebida por um candidato à Prefeitura de Manaus em 20 anos 29/10/2012 às 15:13
Show 1
Artur e Hissa durante votação
Audrey Bezerra Manaus (AM)

O diplomata Artur Virgílio Neto (PSDB), da coligação 'O futuro é agora', recebeu 603.483 votos nas eleições de 2012, um total de 65,95% dos votos válidos. Ele alcançou a maior votação já recebida por um candidato à prefeitura de Manaus nos últimos 20 anos. Para o tucano, sua eleição liberta Manaus do 'caciquismo' e do 'bandonismo'.

A Zona Sul de Manaus foi a que rendeu a maior votação para Artur, totalizando 109.770 votos dos 603.483 contabilizados para o tucano, o equivalente a 18,2%. Este eleitorado específico está registrado a partir das zonas eleitorais 31, 37 e 63 no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Segundo o TRE-AM, o eleitorado de Manaus está dividido em 13 zonas e, em todas elas, Artur superou a segunda colocada, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB). Vanessa recebeu 311.607 votos, o equivalente a 34,05% dos votos. É a segunda vez que a comunista disputa à prefeitura de Manaus. Vanessa teve sua maior votação registrada na zona eleitoral 68 (com 10 bairros na Zona Leste).

Antes de Artur, o maior percentual geral obtido por um candidato à prefeitura de Manaus foi dado ao atual prefeito Amazonino Mendes (PDT) nas eleições de 2008. Essa é a segunda vez que o tucano comanda a Prefeitura do município. Artur assume o cargo no dia 1º de janeiro e ficará até dezembro de 2016.

Durante a campanha, o diplomata apresentou no resumo do seu plano de governo propostas prioritárias nas áreas de finanças, infraestrutura, trânsito e transporte urbano, saúde, educação, ação social e comunitária, trabalho e emprego, renda, meio ambiente e limpeza pública, esporte, tecnologia e informação, além de segurança, saneamento, entre outros.

Nos seus discursos, Artur enfatizou que pretende enxugar a máquina, reduzindo o número de secretarias e priorizando ações sociais. Ele também promete revitalizar o Centro Histórico, concluir obras em andamento – a exemplo do paço do Mindu e o Mercado Municipal Adolpho Lisboa -, oportunizar aos moradores de rua a inclusão no mercado de trabalho, possibilitando, inclusive, que eles se tornem microempreendedores. A medida objetiva inseri-los na cobertura previdenciária e trabalhista, garantindo direitos legais aos trabalhadores.

O tucano também assegura que combaterá o crime organizado adotando políticas antidrogas e afirma que a prefeitura não compactuará com a corrupção e terá também como uma das marcas registradas a transparência.

Votação histórica
Em 2008, Amazonino Mendes foi eleito com 57% dos votos, totalizando 495.460 votos. Ele derrotou o candidato Serafim Corrêa (PSB) que obteve 371.845 votos, o correspondente a 42%.

Em 2004, Serafim Corrêa (PSB) foi eleito com 51,68% dos votos válidos, ficando à frente de Amazonino Mendes (PFL), que recebeu 48,32%. No total: Serafim 386.767 e Amazonino 361.580

Em 2000, Alfredo Nascimento foi reeleito com 47,47% dos votos, com total de 287.754, derrotando Eduardo Braga, na época do PPS, que recebeu 31,97% dos votos.

Em 1996, Alfredo Nascimento foi eleito pela primeira vez prefeito da cidade com 34,19% dos votos, um total de 160.163 votos.

Perfil
Artur Virgílio nasceu em Manaus, tem 67 anos e acumula quase 30 anos de vida pública. O candidato é formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Diplomata de carreira, Artur também ficou conhecido por dedicar parte dos anos à prática do jiu-jitsu. Na política, já militou pelo PCB e foi filiado ao PMDB, PSB e ao seu partido atual, o PSDB.

Foi eleito deputado federal em 1982 e, em 1994 e 1998 também atuou na Câmara Federal – neste último mandato, foi ministro no governo Fernando Henrique.

No PSB, ocupou o cargo de prefeito entre 1988 e 1992, terminando o mandato no PSDB. Em 2002 foi eleito senador e fez oposição ao governo de Luís Inácio Lula da Silva (PT).

Em 2010, candidatou-se à reeleição, sem sucesso. Em seguida, retornou à atividade diplomática, da qual se afastou, este ano, para concorrer à prefeitura.