Publicidade
Cotidiano
Notícias

As peculiaridades das eleições do Amazonas

Utilizar municípios como “pólo de cargas”  para a preparação de urnas em localidades vizinhas e contratação de empresas especializadas nos transportes das urnas, são a base dos preparativos do TRE-AM nas eleições da extensa região. 12/08/2012 às 17:12
Show 1
O TRE, por meio de licitação, contrata empresa especializada em logística para transportar as urnas do depósito, localizado na capital, até os pólos de carga e destes até as Zonas Eleitorais
acritica. com ---

Ao contrário dos outros estados brasileiros,  as eleições do Amazonas  são mais complexas devido à extensão territorial do estado,do difícil acesso aos municípios mais distantes e o transporte essencialmente fluvial que tem  a navegação parcialmente comprometida em conseqüência da grande cheia na região.

Apenas 13 municípios do interior do Estado são atendidos por vôos regulares. O restante por via fluvial.  E, é  dentro deste contexto que o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE) trabalha para organizar as eleições de outubro deste ano no Estado, criando estratégias para poder  levar até estes locais os equipamentos necessários e as urnas eletrônicas.      

Dada a agilidade que o processo eleitoral demanda, e as limitações das linhas de transporte usuais, há necessidade, em muitos casos, do uso das linhas aéreas, e, na falta de vôos regulares, a utilização de aeronaves fretadas.

Polos de Carga

Para preparar as urnas para a eleição, os municípios do Estado são agrupados por áreas, sendo um dos municípios de cada área designado para ser o “Pólo de Carga”, onde serão preparadas as urnas dos municípios vizinhos. Os municípios escolhidos para sediar cada pólo, normalmente, têm maior facilidade de acesso partindo da capital e/ou possuem uma estrutura física mais adequada. Os polos, que recebem o nome da cidade-sede, são:

Pólo Manaus: Anori, Apuí, Barcelos, Boca do Acre, Borba, Canutama, Carauari, Careiro, Careiro da Várzea, Fonte Boa, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Iranduba, Juruá, Jutaí, Lábrea, Manaquiri, Manicoré, Nova Olinda do Norte, Novo Airão, Novo Aripuanã, Pauini, Rio Preto da Eva, Santa Isabel do Rio Negro e Tapauá.

Pólo Manacapuru: Anamã, Beruri, Caapiranga e Manacapuru.

Pólo Parintins: Barreirinha, Nhamundá e Parintins.

Pólo Itacoatiara: Itacoatiara e Urucurituba.

Pólo Silves: Itapiranga, Silves, Urucará e São Sebastião do Uatumã.

Pólo Tefé: Alvarães, Japurá, Maraã, Tefé e Uarini.

Pólo Eirunepé: Eirunepé, Envira e Itamarati.

Pólo Maués: Maués e Boa Vista do Ramos.

Pólo São Gabriel da Cachoeira: São Gabriel da Cachoeira.

Pólo Santo Antônio do Içá: Amaturá, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins.

Pólo Itinerante A: Coari e Codajás.

Pólo Itinerante B: Atalaia do Norte, Benjamin Constant e Tabatinga.

Pólo Itinerante C: Autazes e Presidente Figueiredo.

Transporte de urnas

O TRE, por meio de licitação, contrata empresa especializada em logística para transportar as urnas do depósito, localizado na capital, até os pólos de carga e destes até as Zonas Eleitorais (após a preparação e lacre), bem como para, após as eleições, recolhê-las de volta ao depósito onde ficam armazenadas Além do transporte até os polos e Zonas, há transporte até os 1.457 locais de votação, dentre eles, os locais de difícil acesso, que somam 900. Destes, 22 comunidades são atendidas por transporte de avião e 23 alcançadas por meio de helicóptero. O restante é alcançado por transporte fluvial.

Com informações da assessoria de imprensa do TRE