Publicidade
Cotidiano
Notícias

Atendimento deficitário impede idosos de realizar atividades

Frequentadores do Parque do Idoso, na Zona Centro-Sul, reclamam da falta de aquecimento da piscina há quase um ano 02/10/2012 às 10:06
Show 1
Frequentadores que sofrem de reumatismo e osteosporose não podem realizar atividades na água fria, pois pode piorar o problema, segundo especialista
Milton de Oliveira ---

Há quase um ano, a bomba de aquecimento de água da piscina do Parque do Idoso, localizado no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul, não está funcionando. Por conta disso, muitos idosos não estão fazendo as atividades físicas. A denúncia foi feita pelos frequentadores do local, ontem, no Dia do Idoso, data lembrada comemorada em todo o País.

O ex-oficial da Marinha Claudionor Sampaio, 66, é um dos 600 idosos que realizam atividades na piscina e que, ontem, reclamou da demora do conserto da bomba de aquecimento. “Há pessoas que acabam desistindo de entrar na piscina porque a água não tem uma temperatura ideal”, disse ele.

Ele contou também que há idosos com problemas musculares, de osteoporose, reumatismo, que não fazem atividades na piscina porque sentem muito frio. “No início do ano, colocaram um aviso, alertando aos usuários que o problema estaria resolvido no mês de setembro e até agora não aconteceu nada”, desabafou, acrescentando que outros idosos entram na água, mas reclamam ao terminar as atividades de hidroginástica. “Há colegas nossos que praticam outras atividades, antes de entrar na piscina, como o atletismo. Então, é desconfortante entrar com o corpo quente na piscina, com a água de temperatura baixa”, finalizou.

O paranaense Maurício Claro, 75, disse que os idosos que mais sofrem são os do Norte. “Eu não tenho tantos problemas porque eu sou de uma região fria e aqui em Manaus, faz muito calor. Mas, os idosos amazonenses não aguentam e precisam que a água esteja aquecida”, disse ele que, há seis meses está morando em Manaus.

A Fundação Doutor Thomas, na Zona Centro Sul, responsável por avaliar a execução da política municipal do idoso, informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que vários reparos foram feitos na bomba de aquecimento da piscina, mas que, agora, ela precisaria ser substituída por não ter mais condições de funcionamento.

Por conta disso, a troca poderá demorar ainda mais, segundo a Fundação, já que será necessário um processos de licitação. “Em momento algum, as aulas foram suspensas ou interrompemos as atividades”, informou a assessoria.