Publicidade
Cotidiano
Notícias

Aulas musicais viram sucesso na Internet

Professora de colégio em Manaus une paixão por disciplina e música para ministrar aulas e seu método conquista alunos. A pedido deles e dos pais, Pamela passou a postar as paródias na Internet, onde já acumula 5 mil visualizações. 03/09/2012 às 10:14
Show 1
Pamela Barros vira sucesso na internet
Florêncio Mesquita Manaus (AM)

Usar música para estimular a criatividade e o aprendizado foi  a forma que a professora Pamela Barros, 24, encontrou para ensinar História para alunos de 8 a 14 anos. Há cinco meses a professora grava vídeos com paródias de composições de artistas famosos para lecionar História para alunos do colégio Connexus, na Zona Centro-Sul.

Os vídeos da série  “Cantando História” são publicados na Internet, no site de compartilhamento de vídeos YouTube, a cada 15 dias. Eles já somam mais de 5 mil visualizações.

A artista da sala de aula resolveu usar as paródias musicais para que as crianças se sentissem estimuladas a aprender  e acabassem melhorando o desempenho educacional. Pamela diz que aliou o gosto das crianças pela música com a missão de ensinar do professor.

A professora escolhe apenas  músicas que as crianças gostam e que lideram as paradas de sucesso do cenário nacional e internacional para adaptar as letras para o conteúdo que está sendo ministrado na sala de aula.

Os vídeos das paródias são produzidos na casa dela com a ajuda do marido que filma e edita as produções. Pamela escreve as letras das paródias, canta e dança na frente das câmeras.

Segundo ela, o primeiro vídeo não teve tanta qualidade técnica. No entanto, a produção foi crescendo e hoje ela usa até cenário virtual para contextualizar as letras. Os assuntos são sempre relacionados ao conteúdo ministrado na sala de aula.

“A ideia de colocar os vídeos na Internet foi dos alunos e dos pais que tinham curiosidade de assistir as paródias porque os filhos chegavam em casa cantando as letras diferentes que ensinavam História”, disse.

Pamela conta que desde criança queria ser artista ao mesmo tempo que se encantava  com as aulas de história que tinha na escola. Quando cresceu, descobriu que a paixão pela história e o desejo de cantar continuavam lado a lado.

Ela se formou em História em 2008 e um ano depois ingressou no colégio Connexus para substituir, durante quatro meses, outra professora que estava de licença maternidade. Logo começou a mostrar a maneira musical de ensinar cantando paródias feitas por professores de outros Estados, publicadas no YouTube. O colégio abraçou a criatividade da professora e incentivou-a a continuar.

O emprego temporário acabou se tornando efetivo e a iniciativa de facilitar o aprendizado dos alunos deu certo. Pamela tem oito vídeos num canal próprio no YouTube.

O primeiro vídeo foi publicado em março e, apesar do pouco tempo, Pamela já tem fãs cativos. Desde o primeiro vídeo, pais, alunos, funcionários da escola, além de amigos e familiares, ficam à espera de novas produções.

Direção da escola apostou no método desde o início

Para a diretora do colégio Connexos, Annik Barbosa, a metodologia diferenciada utilizada pela professora Pamela Barros, faz parte da proposta de trabalho da instituição, que procura unir o modelo escolar tradicional a metodologias novas e criativas.

Segundo a diretora, além do aspecto musical o colégio usa teatro, dança, pintura e esportes como natação e judô para estimular o aprendizado dos alunos em sala de aula. Ela destaca que a metodologia lúdica é utilizada para tornar fácil o que para os alunos aparenta ser difícil.

Annik destaca que por meio da proposta criativa de ensino é possível aproximar da realidade dos alunos ao conteúdo que na escola tradicional só é visto na teoria, por meio de livros.

De acordo como a diretora, outro objetivo do ensino diferenciado é estimular a oralidade. “Às vezes, o aluno se expressa de maneira escrita, mas não se expressa fluentemente de forma oral porque tem medo ou vergonha de se expressar. Trabalhamos para que eles também sejam excelentes oradores com português fluente e correto”, disse.