Publicidade
Cotidiano
Cotidiano, Cultura, Zumbi dos Palmares, Selos, Homenagem, Praça 14 de Janeiro, Parque Memorial Quilombo dos Palmares, Correios, Negros

Bairro da Zona Sul de Manaus é homenageado com relançamento de selo

Para celebrar os 121 anos do bairro Praça 14 de Janeiro, os Correios irão relançar o selo Parque Memorial Quilombo dos Palmares, lnçado em novembro do ano passado , por ocoasião do Dia Nacional da Consciência Negra 11/01/2013 às 15:34
Show 1
Selo apresenta imagens da cultura negra e também do Parque Memorial Quilombo dos Palmares
acritica.com Manaus

O bairro Praça 14 de Janeiro, localizado na Zona Sul de Manaus, será palco neste domingo (13), a partir das 21h, do relançamento da edição especial do selo Parque Memorial Quilombo dos Palmares. Os selos serão lançados em frente à quadra da Escola de Samba Vitória Régia, e faz parte das comemorações pelos 121 anos do lugar.

A Praça 14 de Janeiro é tradicional por manter vivas suas raízes, como as tradicionais festas da cultura negra e a presença de rezadeiras que atuam até hoje. Boa parte dos moradores o lugar é composta por descendentes de ex-escravos maranhenses, e os responsáveis por preservar suas crenças, seus costumes e sua memória.

A proposta do relançamento do selo no bairro é dar visibilidade à cultura negra no Amazonas, tornando essa data um marco para a próxima década, que será de combate ao racismo.

O projeto se concretiza a partir de uma parceria entre Correios, Consulado Geral da Venezuela em Manaus, representação de Mulheres Negras e Ameríndias e coordenação da Marcha Mundial de Mulheres.

Emissão especial
O selo retrata uma panorâmica do primeiro e único parque temático sobre a cultura negra do País - Parque Memorial Quilombo dos Palmares, localizado na Serra da Barriga, em Alagoas.

A pintura que estampa o selo apresenta na sua esquerda, em primeiro plano, a construção Muxima de Palmares - Coração de Palmares-, em homenagem aos comandantes-em-chefe que formavam o conselho deliberativo do Quilombo.

Já em segundo plano, há uma oca indígena, que representa a cultura dos primeiros habitantes da Serra da Barriga. À direita, aparece a edificação Onjo Cruzambê - Casa do Campo Santo -, espaço de apoio às práticas das religiões de matriz africana.

Ao lado da edificação, duas figuras femininas representam as práticas religiosas desse espaço sagrado.