Publicidade
Cotidiano
Notícias

Bancada amazonense gasta muito e fala pouco

Quem menos atua como orador são os mais gastadores com passagens aéreas; Braga se destaca por não ter gastos 09/01/2012 às 08:15
Show 1
Eduardo Braga, Pauderney Avelino e Vanessa Grazziotin são os melhores entre os 11 amazonenses, segundo pesquisa do Diap, que mede a atuação no Congresso
LÚCIO PINHEIRO Manaus

Os 11 parlamentares que compõem a bancada federal do Amazonas se pronunciaram na tribuna da Câmara dos Deputados ou no Senado 572 vezes em 2011.

Os 3,5 milhões de habitantes do Estado são representados em Brasília por três senadores e oito deputados. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) e os deputados Pauderney Avelino (DEM) e Silas Câmara (PSC) foram os que mais usaram os microfones das duas Casas parlamentares. Segundo dados do site da Câmara dos Deputados (www.camara.gov.br), em 2011, Pauderney fez 202 pronunciamentos. Já Silas usou os microfones do parlamento 87 vezes.

No Senado, o portal da Casa (www.senado.gov.br) credita à senadora Vanessa 133 discursos. Vanessa está no primeiro mandato de senadora, após derrotar o ex-senador Artur Neto (PSDB) nas eleições de 2010. Enquanto Pauderney e Silas estão, respectivamente, no 5º e 4º mandatos na Casa.

DISTÂNCIA

Na outra ponta, os parlamentares do Amazonas que mais se afastaram dos microfones em 2011 foram os deputados federais Sabino Castelo Branco (PTB) e Henrique Oliveira (PR), na Câmara, e o senador Alfredo Nascimento (PR), no Senado.

Ao contrário do comportamento que apresentam nos seus programas de TV, em Manaus, onde cobram autoridades e desafiam “bandidos”, Sabino e Henrique foram tímidos na defesa de suas ideias em Brasília.

O primeiro falou 13 vezes. O segundo apenas oito. Sabino está no segundo mandato de deputado federal. Enquanto Henrique é marinheiro de primeira viagem como deputado.

ALFREDO

Já Alfredo, que sofreu em 2011 o maior desgaste político da sua vida pública, discursou apenas cinco vezes na voltar ao Senado. Dois dos cinco pronunciamentos foram para defender que ele e o PR não realizaram “malfeitos” no Ministério dos Transportes, pasta de onde o senador caiu por suspeitas de corrupção.

Alfredo está no quinto ano do primeiro mandato (de oito anos). Também vivendo sua primeira experiência no Senado, o ex-governador Eduardo Braga (PMDB) se pronunciou no plenário da Casa 29 vezes.

Na Câmara, o deputado Francisco Praciano (PT) discursou 40 vezes, seguido pelos colegas de parlamento Carlos Souza (PSD), Rebecca Garcia (PP) e Átila Lins (PSD), com 21, 19 e 15 discursos, respectivamente. Rebecca e Praciano estão no segundo mandato.

Já Carlos e Átila ganharam em 2010 o direito de exercerem o 3º e o 6º mandatos, respectivamente. A simples fala de um parlamentar agradecendo a presença de alguém no plenário, ou encerrando uma sessão, já é contada como discurso para a estatística da Câmara e do Senado. A pesquisa feita por A CRÍTICA tomou por base dados atualizados até o último dia 6 nos portais das duas Casas.