Publicidade
Cotidiano
Notícias

Bancários do Amazonas decidem aderir à greve nacional

Categoria entra em greve nesta terça-feira, por tempo indeterminado. População vai ficar restrita as operações nos caixas eletrônicos, internet e loterias   17/09/2012 às 19:56
Show 1
Estratégias para a paralisação foram decididas na noite desta segunda-feira em assembleia na sede dos bancários
Eloisa Vasconcelos Manaus (AM)

Bancários do Amazonas decidiram aderir à greve nacional da categoria. A categoria vai iniciar a paralisação das agências bancárias a partir de desta terça-feira (18), por tempo indeterminado.

A decisão, em assembleia na noite desta segunda-feira (17) é em resposta ao não atendimento das reivindicações da classe pelos banqueiros, de oferecer apenas 6% de reajuste contra os 10,25% e mais 5% de aumento real que a categoria considera como reposições de perdas.

A categoria reivindica também plano de cargos, carreira e salários, maior participação nos lucros e resultados (PLR) e mais segurança nas agências. As negociações acontecem desde início de agosto, com constantes rodadas de negociações sem consenso.

De acordo com o secretário geral do sindicato do Amazonas, Daniel Batista de Oliveira,  o Estado de greve inicia às zero hora da segunda-feira e, na terça-feira  o comando de greve começa a mobilização dos trabalhadores nas principais agências do centro de Manaus: Banco do Brasil ( da rua Guilherme Moreira), agências do Bradesco (da Sete de Setembro e Boulevard Álvaro Maia); Caixa Econômica (Rua Barroso); dois bancos da Amazônia (Sete de Setembro e Boulevard Álvaro Maia) e Itaú (Sete de  Setembro).

A partir desta agência do Centro, o comando segue para as demais agências da cidade. Daniel Oliveira disse que  a intenção é fechar todas as agências e que  no caso dos bancos a questão de manter serviços essenciais funcionando se restringe apenas aos serviços de compensação. "Vamos conseguir 60% de adesão logo no primeiro dia",  avalia o presidente do sindicato Nindberg  Barbosa.

Atualmente, o Amazonas tem cerca de 3.400 bancários.  De acordo com o sindicato seriam necessários mais de mil trabalhadores para atender à demanda do Estado. Na capital são 2.500 trabalhadores espalhados em 170 agências. No interior está o restante dos bancários distribuídos nas 40 agências públicas e privadas. E no país são 500 mil trabalhadores.  

População

A paralisação inclui bancos públicos e privados. A expectativa para esta terça-feira (18) é que a população encontre logo pela manhã apenas os caixas eletrônicos funcionando.  De acordo com  alerta  da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) muitas operações bancárias ainda poderão ser realizadas por meio de caixas eletrônicos, internet banking, telefone e correspondentes bancários, tais como casas lotéricas, agências dos Correios e outros estabelecimentos credenciados. No ano passado, a greve dos bancários no Estado do Amazonas durou 23 dias.