Publicidade
Cotidiano
Notícias

Bombeiros vão levar até dois dias para retirar árvores caídas durante temporal

A queda de árvores por causa do forte vento causado pela chuva da noite de terça-feira deixou um rastro de destruição por toda a Manaus. O Corpo de Bombeiros registrou 52 ocorrências envolvendo o despencamento de árvores e levará de um a dois dias para retirar todas de onde caíram 31/10/2012 às 20:17
Show 1
Queda de árvores causou destruição e falta de energia pela cidade
Bruno Strahm Manaus (AM)

Manaus sofreu com a falta de energia elétrica durante e após o temporal que assolou a cidade na última terça-feira (30). Os fortes ventos e a força da água derrubaram telhados e árvores. O Corpo de Bombeiros informou que foram registradas cinqüenta e duas ocorrências de quedas de árvores em todas as Zonas da cidade, destas, trinta e três já foram resolvidas.

“Árvores caíram em cima de carros, casas, pontos comerciais, rios, na rua e em fios de alta tensão. O trabalho de retirada completa deve durar de um a dois dias, dependendo da complexidade do caso”, comentou o major Borges.

Fios de alta tensão rompidos por vento ou pela queda de árvores foram os responsáveis pela interrupção do abastecimento de energia elétrica durante e após a chuva. Conforme informações do Major Borges, a Amazonas Energia não depende da ajuda dos bombeiros para retirada de árvores que tenham destruído fiações elétricas, pois esta possui equipes próprias para este trabalho.

“Sempre que somos solicitados por eles nós os ajudamos, mas eles não pediram o auxilio da corporação ainda depois de terça”, completou Major Borges.

Em nota à imprensa, a empresa Amazonas Energia afirma ter 400 funcionários na rua trabalhando para a volta da normalização do atendimento, trinta e cinco bairros da cidade sofreram com a falta de energia. Até às 14h desta quarta-feira (31) eram doze, e a previsão para que todos voltem a ter o abastecimento normalizado é até esta noite. Mesmo assim, alguns bairros como o Adrianópolis, na Zona Centro-Sul da cidade ainda estão sofrendo com a oscilação de energia desde a noite de quarta (31).