Publicidade
Cotidiano
Notícias

Braga sai do encontro com Dilma Roussef mais seguro em permanecer no cargo

Eduardo Braga  reafirmou sua permanência no cargo, cumprindo normalmente a agenda política ao lado da Presidenta Dilma Roussef e da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti 27/06/2012 às 12:57
Show 1
Para assegurar que o líder continuará no comando da base aliada no Senado, Dilma Rousseff desceu do gabinete ao lado de Eduardo Braga
Antônio Paulo Manaus

O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) entrou hoje (27), pela manhã, no gabinete da presidente Dilma Rousseff como líder do Governo do Senado e saiu mais seguro ainda no cargo. Ele conversou com a presidente sobre o processo eleitoral em Manaus, as alianças que estão sendo construídas e a definição de não participar da disputa.

Informou à Dilma sobre o discurso de logo mais à tarde, no Senado, para anunciar sua decisão de permanecer no Senado e na liderança.

Para assegurar que o líder continuará no comando da base aliada no Senado, Dilma Rousseff desceu do gabinete ao lado de Eduardo Braga para participar da solenidade de lançamento do Programa de Compras Governamentais (PAC Equipamentos) com a presença de prefeitos brasileiros.

Depois da cerimônia, Braga se encontrou com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para tratar da pauta de votação no Senado nessa última semana de junho e as votações até o fim dos trabalhos legislativos do primeiro semestre, previsto para 13 de julho.

O líder do Governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), reforçou a tese de que Eduardo Braga não vai mesmo disputar a prefeitura. “O PMDB não terá candidatura própria em Manaus. Deverá apoiar o PP nessas eleições”. O partido de que fala Pimentel é o da deputada Rebecca Garcia (PP-AM).

 Segundo a assessoria de Braga, ele deve usar o tempo regimental a que tem direito como líder do Senado na sessão deliberativa, prevista para iniciar às 14h (horário de Brasília), mas o discurso deverá ocorrer entre 15h30 e 16h, quando o plenário da casa tiver a presença maciça dos senadores.