Publicidade
Cotidiano
Notícias

Brasil se queixa da economia de 2012 e AM comemora bons resultados no estado

Ruim para a economia brasileira, que fechará o ano com indicadores pífios, mas bom para o Amazonas que crescerá 3,5% 28/12/2012 às 10:59
Show 1
Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam)
AUGUSTO COSTA ---

Apesar do ano difícil na economia brasileira que apresentou crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de apenas 1,5%, a indústria e o comércio do Amazonas consideraram o ano positivo para o desenvolvimento da economia do Estado.

O presidente da Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, disse nesta quinta-feira (27), durante a última reunião do Conselho de Desenvolvimento do Amazonas (Codam), que embora a expectativa de crescimento fosse de 7%, ficou satisfeito com os 3,5% obtidos esse ano pela economia local.

De acordo com Antonio Silva, a última reunião do Codam foi positiva com a aprovação de 34 projetos, entre eles a implantação do estaleiro Eram (Estaleiro Rio Amazonas) que vai desenvolver o polo naval, além da aprovação do projeto da MG Gold Industrial do Amazonas, na área de joalheira, e da Samsung Eletronics, que deve investir R$ 1,2 bilhão na fabricação de tablets e gerar 312 postos de trabalho ao longo de três anos.

“Como foi dito pelo vice-governador José Melo a economia do Amazonas cresceu mais do que a economia brasileira e mais do que outros países. Temos que comemorar pela credibilidade que o modelo Zona Franca de Manaus ainda desperta. Em termos comparativos, não atingimos os 7% que queríamos crescer, mas 3,5% é um número significativo em relação a várias economias no mundo que não cresceram este ano.  Temos mais é que comemorar de termos saído vencedor da prova”, avalio Silva.

O vice-governador José Melo (PMDB) enfatizou as expectativas de crescimento econômico para o ano que vem. “A economia do Amazonas tem dado nos últimos seis anos mostra de maturidade e tem crescido mais que a indústria brasileira e gerado receita e muitos empregos. Temos uma expectativa excelente de crescimento econômico com a implantação do polo naval, do petroquímico, Estou otimista para 2013”, disse ele.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).