Publicidade
Cotidiano
pátio Detran

Buracos tomam conta de garagens do Complexo de Treinamento do Detran em Manaus

O local é utilizado para a formação de futuros motoristas, estão em péssimas condições. Diretora-Presidente do Detran-AM alega que chuvas estão atrapalhando trabalhos de reforma no local 20/01/2012 às 07:42
Show 1
O parqueamento de Santa Etelvina está tomado por grandes buracos que tornaram impossível a entrada de carros e o treinamento dos alunos
Florêncio Mesquita Manaus

Pelos menos seis garagens do Complexo de Treinamento de Direção Veicular (CTDV) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AM) em Santa Etelvina, Zona Norte, utilizadas no treinamento de futuros condutores, estão interditadas devido as péssimas condições de uso. O local está tomado por grandes buracos que tornaram impossível a entrada de carros e o treinamento dos alunos de auto-escolas.

Outras duas das quatro garagens que ainda estão em uso também apresentam buracos. O problema é agravado pela chuva e sinalização precária e se estende aos locais onde são realizadas balizas que, além de buracos, estão cobertas por lama e lixo.

As péssimas condições são motivo de reclamações constantes e comuns entre instrutores de direção e, principalmente, de alunos que afirmam sofrer prejuízos no aprendizado. “Temos que cumprir as 20 horas de direção, mas não há como aprender em um local que parece um campo de guerra de tanto buraco. Parece brincadeira, mas pagamos tão caro para tirar a CNH e não temos nenhum retorno de estrutura e qualidade”, disse Camila Souza, 33, aluna da direção.

 O prejuízo aos futuros motoristas é confirmado por instrutores que informam que a situação ocorre há meses sem que haja alguma providência para o reparo do local, como afirma o presidente do Sindicato dos Instrutores de Auto-escolas de Manaus, Jucinaldo Mota. “Os buracos são um problema crônico no local e os alunos são prejudicados porque não têm como realizar as manobras adequadas do treinamento sobre buracos. É uma buraqueira que começa na entrada do CTDV e termina nas garagens e balizas”, disse.

Ele ressalta que a área de exames de direção, localizada ao lado do CTDV, sofreu reparos só por causa da entrega das novas viaturas da polícia feita no local na última semana.

 Mesmo com a precariedade na infraestrutura, centenas de pessoas treinam diariamente no local. Ao contrário das garagens e balizas usadas para o treinamento em carros, a única área que ainda permanece em boas condições é o centro do CTDV usado no treinamento de alunos em motocicletas.

Não bastasse o problema no percurso na área de treinamento, os banheiros, masculino e feminino CTDV, também estão em más condições de uso. A situação mais grave é do banheiro masculino que, apesar de contar com uma pia, não tem torneira para lavar as mãos.

Os usuários dos banheiros alegam se sentir constrangidos com a situação porque as portas dos locais e dos boxes não têm fechaduras. Estudantes como Mário Silva, 23, seguram a porta com os pés. “É um improviso que não deveria existir, mas dá certo”, disse.

 Chuva seria responsável por estragos

A diretora-presidente do Detran/AM, Mônica Melo, explicou que as garagens estão desativadas temporariamente devido as obras de reparo que estão sendo feitas no local. Segundo ela, os buracos foram escavados por um trator e ainda não reparados em razão das chuvas, que atrapalham o trabalho.

Segundo Mônica, vários trabalhos de tapa-buraco foram feitos no local com materiais que, depois de certo tempo, demonstraram pouca resistência. E os atuais buracos foram feitos justamente para substituir o asfalto por concreto.

Ela ressalta que a situação foi repassada ao sindicato das auto-escolas com a orientação de que os instrutores levem os alunos, que completaram 15 horas de aula, para treinar no percurso de rua e não ficar só no pátio das balizas e garagens. Quanto aos banheiros, a diretora disse que três servidores, sendo dois do sindicato das auto-escolas e um do Detran/AM fazem a limpeza e manutenção do local várias vezes ao dia.

Mônica Melo explica que os banheiros são alvos de furtos - no caso uma das portas - e depredações de torneiras e louças sanitárias. Ela ressalta que servidores fazem a limpeza do pátio de treinamento.