Publicidade
Cotidiano
Notícias

Caixa vai investir R$ 1,3 bi

É o que a instituição planeja aplicar em financiamento habitacional este ano, para crédito comum e ‘Minha casa, minha vida’ 11/02/2012 às 10:12
Show 1
Os créditos poderão ser obtidos em toda a rede de agências do banco, terminais de auto-atendimento, Internet Banking, central de atendimento telefônico e correspondentes CAIXA Aqui
Cimone Barros Manaus

Após recordes em contratações em 2011, a Caixa Econômica Federal no Amazonas projeta aplicar R$ 1,3 bilhão em financiamento habitacional neste ano, ante os R$ 992 milhões do ano passado. Em todo o País, a Caixa alcançou lucro global de R$ 5,2 bilhões em 2011, avanço de 37,7% em relação a 2010.

“Nosso cenário é de crescimento da carteira de crédito em 2012. Esperamos manter a demanda aquecida e forte na carteira habitacional, com o objetivo de aplicar R$ 1,3 bilhão”, disse o superintendente regional da Caixa, Paulo Henrique de Souza, destacando que não tem percebido impacto da crise da Europa e dos Estados Unidos nas operações do banco.

No Amazonas, o financiamento habitacional atingiu R$ 992 milhões, em 2011, uma expansão de 28,9% em relação a 2010, com a contratação de 10.430 unidades habitacionais. O quantitativo está bem abaixo das expectativas no início do ano passado da então superintendente regional da Caixa, Noêmia Jacob, que era de 20 mil unidades e R$ 1 bilhão em financiamento.

Segundo a Caixa, as linhas de crédito com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançaram mais de R$ 341 milhões, com 2.678 contratações, R$ 129 milhões a maior do que 2010. As operações do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) e outras fontes de recursos somaram R$ 651 milhões.

No Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) I, desde o seu lançamento pelo governo federal em 2009, já foram contratados 12.277 unidades, representando um investimento de R$ 757,8 milhões. Desse total, apenas 611 unidades já foram entregues. Do total dessas contratações, 5.901 unidades ficaram na faixa de zero a três salários mínimos (R$ 246.299 milhões), 3.653 de três a seis salários mínimos (R$ 272.360 milhões) e 2.723 unidades de seis a dez salários mínimos (R$ 239.179).

Os números de entrega do programa para as pessoas de baixa renda devem melhorar ainda no primeiro semestre com o repasse de 3.511 das 8.895 unidades habitacionais (casas e apartamentos) do conjunto Meu Orgulho, do governo do Estado, segundo Paulo Henrique de Souza. As obras da primeira etapa começaram em 2010. “O número de unidades entregues é pouco, porque tem um tempo de construção, mas não temos obras com atraso”, garantiu.

Em relação ao PMCMV II, com início em 2011, a Caixa financiou 7.648 unidades, no valor total de R$ 407 milhões. Dessas unidades, 5.884 estão na faixa de zero a três salários mínimos (R$ 299.140 milhões), 1.392 de três a seis salários mínimos (R$ 80.016 milhões) e 372 unidades de seis a dez salários mínimos (R$ 27.887 milhões).

“A nossa perspectiva é que um dia cheguemos ao nível de países desenvolvidos, que tem 30% dos produtos habitacionais financiados pelas instituições financeiras. Aqui no Brasil era 7% e passou para 11% e temos grande esperança de continuar crescendo”, disse o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM), Eduardo Lopes.

Crédito de R$ 2,7 bilhões em 2011
As contratações de créditos da Caixa, no Amazonas, atingiram no ano passado R$ 2,7 bilhões, um crescimento de 36,2% em relação ao ano anterior. Em todos os segmentos, o resultado foi positivo.

O crédito comercial chegou a R$ 1,3 bilhão - R$ 197 milhões a mais do que em 2010, sendo R$ 679 milhões para pessoa física e R$ 634 milhões para pessoa jurídica. As contratações de saneamento e infraestrutura alcançaram R$ 396 milhões, alta de 36,20% ante 2010.

Líder absoluta no País em relação à poupança, instituição é responsável por 43,02% do saldo existente no mercado amazonense, e fechou o ano com um saldo de depósito de R$ 1,2 bilhão (de  30 mil contas) , R$ 174 milhões a maior que o ano anterior.

O volume de pagamentos dos benefícios sociais no chegou a R$ 1,3 bilhão, tendo com destaques o Programa Bolsa Família com R$ 435 milhões, o FGTS com R$ 616 milhões e o seguro desemprego com R$ 380,5 milhões.

 

 

<!-- /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin-top:0cm; mso-para-margin-right:0cm; mso-para-margin-bottom:10.0pt; mso-para-margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-bidi-theme-font:minor-bidi; mso-fareast-language:EN-US;}-->


     Crédito de R$ 2,7 bilhões em 2011

As contratações de créditos daCaixa, no Amazonas, atingiram no ano passado R$ 2,7 bilhões, um crescimento de36,2% em relação ao ano anterior. Em todos os segmentos, o resultado foipositivo.

O crédito comercial chegou a R$1,3 bilhão - R$ 197 milhões a mais do que em 2010, sendo R$ 679 milhões parapessoa física e R$ 634 milhões para pessoa jurídica. As contratações desaneamento e infraestrutura alcançaram R$ 396 milhões, alta de 36,20% ante2010.

Líder absoluta no País em relaçãoà poupança, instituição é responsável por 43,02% do saldo existente no mercadoamazonense, e fechou o ano com um saldo de depósito de R$ 1,2 bilhão (de  30 mil contas) , R$ 174 milhões a maior que oano anterior.

O volume de pagamentos dosbenefícios sociais no chegou a R$ 1,3 bilhão, tendo com destaques o ProgramaBolsa Família com R$ 435 milhões, o FGTS com R$ 616 milhões e o segurodesemprego com R$ 380,5 milhões.