Publicidade
Cotidiano
Notícias

Candidatos aproveitam o primeiro bloco para alfinetar gestão de Amazonino

Cancelamento do contrato com a concessionária responsável pelo abastecimento de água da cidade – a Manaus Ambiental -, mais rapidez no tráfego de veículos de transporte de massa e investimentos na educação, além de parcerias com instituições internacionais foram algumas das propostas apresentadas 03/08/2012 às 00:06
Show 1
Debate da emissora Bandeirantes realizado nesta quinta-feira, dia 2 de agosto, em Manaus
Ana Carolina Barbosa Manaus

Os candidatos aproveitaram o primeiro bloco do debate da Band, no qual falaram sobre projetos para infraestrutura, para divulgarem projetos e alfinetarem a administração municipal atual. Cancelamento do contrato com a concessionária responsável pelo abastecimento de água da cidade – a Manaus Ambiental -, mais rapidez no tráfego de veículos de transporte de massa e investimentos na educação, além de parcerias com instituições internacionais foram algumas das propostas apresentadas.

O deputado federal Henrique Oliveira (PR) foi o primeiro na ordem de sorteio a responder à pergunta sobre crescimento desordenado. De acordo com ele, a solução para a cidade é cortar os desperdícios e aproveitar o orçamento de 2013, que deve se aproximar dos R$ 3 bilhões, para fomentar projetos que proporcionem melhorias. Ele também destacou que buscará apoio fora do país, aproveitando recursos internacionais para desenvolver seu plano de governo.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) reconheceu a necessidade de melhorias no transporte coletivo e disse que para melhor a cidade, contará com a parceria dos Governos Estadual e Federal, já que tem o apoio dos partidos da presidenta Dilma Rousseff (PT) e do governador Omar Aziz (PSD). “Por isso estou me propondo a fazer uma parceria forte”, frisou.

O deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB) disse que “a cidade está desorganizada”. Ele dedicou os quase três minutos aos quais teve direito para criticar a gestão atual, para alfinetar indiretamente os ex-prefeitos Serafim Corrêa (PSB) e Arthur Virgílio (PSDB). Ele disse ainda que cancelará o contrato com a concessionária responsável pelo abastecimento de água.

O ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB) se colocou como candidato de oposição “a tudo que está aí”, se referindo a Governo do Estado e Prefeitura, e criticou a desistência de Amazonino Mendes (PDT) pela reeleição. Serafim afirmou que iniciou projetos para resolver o problema da água e do transporte coletivo, mas o atual prefeito, não deu continuidade.

O ex-senador Arthur Virgílio (PSDB), ao contrário de Serafim, não relacionou a gestão atual aos problemas da cidade, mas disse que é “oposição intransigente aos problemas de Manaus, e só aos problemas”. Também falou dos problemas de abastecimento de água na cidade e assegurou que cancelará o contrato com a concessionária responsável pela água e esgoto, a Manaus Ambiental, caso ela não cumpra as metas estabelecidas em contrato.

Contudo, Arthur demonstrou preocupação com os buracos que aumentam a cada dia na cidade. Segundo ele, as ruas em péssimo estado totalizam 50% dos 3,8 mil quilômetros de vias de Manaus.

O deputado federal Pauderney Avelino (DEM) disse que vai usar a experiência como engenheiro para desenvolver projetos voltados à melhoria da infraestrutura da cidade. Para ele, corredores exclusivos podem resolver o problema do transporte coletivo. “Vou devolver também as calçadas aos pedestres e aos cadeirantes”, garantiu, concluindo que destinará 30% do orçamento da prefeitura para a educação.