Publicidade
Cotidiano
Notícias

Candidatos reeditam guerra eleitoral de 2008 no Amazonas

Pleito nos cinco maiores colégios eleitorais do interior do Estado coloca em trincheiras opostas prefeitos e ex-prefeitos 07/07/2012 às 11:09
Show 1
Coari teve que realizar outra eleição em 2009 depois que o prefeito eleito dois anos antes foi cassado pelo TRE-AM
ROSIENE CARVALHO ---

A disputa eleitoral pelo comandos cinco maiores colégios eleitorais do interior do Amazonas, em 2012, tem como personagens os protagonistas da guerra política travada em 2008 cuja definição foi parar nos tribunais. Compra de votos, abuso do poder econômico e uso de ‘caixa dois’ foram flagrados e acatados pelos magistrados, o que promoveu um troca-troca de prefeitos em Manacapuru, Parintins, Tefé, Coari e Itacoatiara.

 Alguns casos ainda continuam sem decisão final a apenas seis meses do final do mandato. No maior colégio eleitoral do interior, Manacapuru, o segundo colocado no pleito de 2008 e atual prefeito Ângelus Figueira (PV) é candidato à reeleição e vai enfrentar os adversários que na eleição passada foram acusados de usar a máquina municipal para eleger Edson Bessa (PMDB), o primeiro colocado. O prefeito em 2008 era Washington Régis (PMDB) que será adversário de Ângelus nas urnas este ano.

 Os processos de 2008 ainda não tiveram decisão final. Bessa foi cassado em três processos por abuso do poder e compra de votos. A disputa em 2008 foi polêmica desde a época de campanha. Tanto que o então juiz eleitoral da cidade Luiz Cláudio Chaves encaminhou ao então presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), Ari Moutinho, carta denunciando a parcialidade da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) na cidade. Segundo ele, os policiais faziam “vistas grossas” às ações irregulares de aliados do então governador Eduardo Braga (PMDB) como entrega de ranchos à noite na casa de eleitores.

]O segundo maior colégio eleitoral do interior do Estado, Itacoatiara, viveu troca-troca de prefeitos um ano após o pleito. E enquanto os processos ainda tramitam na Justiça Eleitoral, o primeiro e segundo colocado naquele pleito, Antônio Peixoto (PT) e Donmarques Anveres (PDT) vão se enfrentar novamente nas urnas. Peixoto vai disputar a reeleição enquanto Donmarques será vice na chapa do deputado estadual cassado Nelson Azedo (PMDB). O TRE-AM cassou o mandato de Antônio Peixoto em outubro de 2009 por ações ilícitas na disputa. Ele e Donmarques Anveres, segundo colocado, se revezaram na prefeitura durante meses por causa de decisões contraditórias da Justiça Eleitoral. Peixoto voltou definitivamente à prefeitura por uma decisão liminar do TRE em 2010.

Mudança de papéis

As eleições de 2012 colocam os personagens das eleições de 2008 em papéis invertidos. Quem, naquele pleito, tinha o comando da máquina agora disputa sem este privilégio. Já os que usaram o abuso do poder e da máquina como argumento para cassar mandato dos adversários, agora são os donos da caneta.

Pleitos suplementares em Coari e Tefé


O Município de Coari, quarto maior colégio eleitoral do interior, vive uma sequência de polêmicas políticas e judiciais desde 2008, quando foi deflagrada a operação Vorax da Política Federal. O primeiro colocado naquele pleito, Rodrigo Alves, foi cassado pelo TRE-AM por ter sido favorecido pelo uso da máquina pelo então prefeito da cidade Adail Pinheiro. Nova eleição foi realizada no município, em 2009, e saiu vencedor Arnaldo Mitouso (PMN). Agora, Mitouso e Adail Pinheiro irão se enfrentar nas urnas. Mitouso conta com a máquina municipal e Adail com apoio de siglas fortes do Estado como o PMDB, do senador Eduardo Braga. O Município de Tefé também sofreu reviravoltas no comando da prefeitura por causa de decisões judiciais. O prefeito da cidade, Sidônio Gonçalves, foi cassado pelo TSE por estar no quarto mandato. Nova eleição foi realizada no município e o candidato Jucimar Veloso venceu o candidato apoiado por Sidônio, Wiseman Celani. Jucimar e Celani se enfrentam nas urnas novamente em 2012. Em Tefé, os papéis também estão trocados. Quem em 2008 estava com a máquina agora enfrenta a disputa sem o poder.

Municípios terão de 3 a 5 candidatos

Os cinco maiores colégios eleitorais do interior terão disputas com três a cinco candidatos, segundo informações fornecidas ontem pelos cartórios eleitorais. Em Itacoatiara, são quatro candidatos: o atual prefeito Antônio Peixoto (PT), a vereadora Elenize Holanda, o ex-prefeito Mamoud Amed (PSD) e o deputado estadual cassado Nelson de Oliveira Azedo (PMDB). No Município de Coari, disputam a prefeitura três candidatos: o atual prefeito Arnaldo Mitouso, o ex-prefeito Adail Pinheiro (PRP) e Raimundo Nonato de Magalhães. Manacapuru também terá três candidatos: o deputado estadual Orlando Gualberto Cidade (PTN), o ex-prefeito e ex-deputado estadual Washington Régis (PMDB) e o atual prefeito Ângelus Figueira (PV). Em Tefé, cinco candidatos pediram para ter os nomes nas urnas, são eles: Wiseman Celani, Antenor Paes, o atual prefeito Jucimar Veloso, Normando Bessa de Sá (PRB) e Edson Dias (PMN). O município de Parintins terá cinco candidatos à prefeitura. Pediram o registro: Carlos Alexandre Ferreira da Silva (PSD), o atual vice-prefeito, Messias Wilson de Medeiros (PDT), Prefeito: Dietrich Esmaile Teixeira Mendes (PSOL), Douglas Batista de Oliveira (PV) e Manoel Lázaro de Souza (PT).