Publicidade
Cotidiano
Notícias

Candidatos rejeitam vagas de trabalho no AM

Segundo o Sine, oportunidades com baixa exigência, como auxiliar de limpeza e pedreiro, ficam meses sem preenchimento 21/02/2012 às 12:20
Show 1
Falta de qualificação também é outro grande obstáculo para que muitos ingressem de mercado de trabalho
Renata Magnenti Manaus

As unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Manaus divulgam diariamente diversas oportunidades profissionais. Entretanto, algumas vagas, a exemplo de serviços gerais, ficam até seis meses no banco de dados sem serem preenchidas,  uma vez que são recusadas pelos candidatos.

Ano passado o Sine Amazonas passou seis meses com uma vaga aberta para cientista biólogo. Situação similar aconteceu no Sine Manaus com uma oportunidade para guia turístico com fluência em inglês. Ambas as vagas foram canceladas por falta de candidatos.

A falta de qualificação é o principal obstáculo para que muitos ingressem no mercado de trabalho. Este é o cenário traçado pelos diretores dos Sines e especialista no setor.

O coordenador do Sine Amazonas, Paulo Junior, afirma que a grande barreira para que as vagas cadastradas sejam preenchidas é a falta de qualificação profissional.

“Hoje em dia conta muito mais uma boa qualificação do que experiência anterior”, disse. Segundo Paulo, chega a sobrar vagas para operador de grua, ferramenteiro e operador de máquina SMD (máquinas que produzem placas) quando é exigido que o profissional seja capacitado na área.

No Sine Manaus, de acordo com o diretor Thiago Medeiros, a demanda de vagas é grande, mas, igualmente, é a procura por oportunidades.

“O que vemos muita das vezes são vagas para serviços gerais que são recusadas por jovens que não têm qualificação e que se encaixam no perfil dos contratantes”.

Ele explica ainda que por falta de candidatos acaba enviando o número exato de profissionais a determinadas empresas/contratantes. “O ideal, por exemplo, é ter 30 candidatos para se selecionar 10 pessoas, mas ainda não temos esse montante de mão-de-obra o que deixa muitos profissionais em uma zona de conforto”.

Isso resulta numa prática bastante conhecida pelos responsáveis dos Sines na cidade. Os profissionais ficam empregados no período de três a cinco meses e depois pedem as contas e a vaga volta a ficar vaga novamente.

“Alguns trabalhadores ficam vivendo de seguro desemprego e quando vêem o dinheiro chegando ao fim vão procurar um novo emprego", disse a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Amazonas da ABIH-AM, Elaine Jinkings.

De acordo com Elaine, o grupo dos trabalhadores que seguem esse rito é pequeno em Manaus, mas acontece. Ela avalia que os profissionais mais qualificados e que estão nesse processo optam por mudarem de emprego conforme o surgimento de novas oportunidades, o que solidifica uma carreira.

O profissional deve ter desejo de vencer na carreira em que optou. Para isso vale à pena ter uma fonte inspirada como um pai, um tio, um avô ou um amigo. Temos exemplos de sucesso e vemos que essa ascensão é possível a todos.

Vagas
Na próxima quinta-feira, 23, após o carnaval, o Sistema Nacional de Emprego em Manaus (Sine-Manaus) vai disponibilizar aos interessados em se inserir no mercado de trabalho 25 vagas. Entre elas estão auxiliar de linha de produção, caldeireiro, supervisor de operações na área de controle de produção (nível superior) e mestre de obras. O Sine fica na Avenida Floriano Peixoto, nº 134 – Centro (Edifício Garagem).