Publicidade
Cotidiano
NAUFRÁGIO

Canoa levando professores afunda no Amazonas e um deles desaparece

O grupo de educadores estava na embarcação que naufragou no rio Solimões, nas proximidades de Tabatinga 13/10/2017 às 18:36 - Atualizado em 13/10/2017 às 21:00
Show show tabatinga
Foto: Arquivo A Crítica
Vinicius Leal Manaus (AM)

Um professor de identidade não divulgada desapareceu na tarde de ontem, quinta-feira (12), após o naufrágio de uma canoa no rio Solimões, nas proximidades do município de Tabatinga, localizado no extremo oeste do Amazonas, a 1.108 quilômetros de Manaus. Um grupo de educadores estava na embarcação que afundou devido ao mau tempo. Todos caíram na água, mas só um não foi encontrado.

As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros do Amazonas. Segundo o órgão, a canoa se deslocava da comunidade Bananal para o distrito de Belém do Solimões, as duas dentro do perímetro de Tabatinga. Vários professores estavam na pequena embarcação, que devido ao mau tempo afundou. Os bombeiros foram acionados e deslocaram uma equipe até o local para averiguar as informações.

A Marinha do Brasil divulgou uma nota informando que as buscas pelo professor desaparecido já começaram e que também iniciaram uma investigação sobre o caso. “Uma lancha e militares da Capitania Fluvial de Tabatinga (CFT) realizam as buscas com o apoio do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Educação de Tabatinga. Um inquérito será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente”, disse a Marinha.

Ainda segundo o capitão Janderson Lopes, dos bombeiros, a notícia sobre o naufrágio deixou a população tabatinguense apreensiva, pois as vítimas eram pessoas conhecidas na região. “O comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Evilmar, tranquilizou a população, informando que a equipe fará todos os esforços possíveis para que as buscas tenham um desfecho com sucesso”, disse Janderson Lopes.

Entretanto, nem o Corpo de Bombeiros nem a Marinha do Brasil confirmaram a quantidade de passageiros na canoa, as identidades das vítimas ou a localização exata do naufrágio. Até a publicação desta matéria, o professor continuava como desaparecido. “Ainda estamos esperando o comunicado via rádio para divulgar mais informações”, finalizou Janderson Lopes.