Publicidade
Cotidiano
Notícias

Chavez teve sangramento durante cirurgia de terça-feira

Ministro das comunicações Ernesto Villegas, disse que  processo de recuperação vai requerer "um tempo prudencial", dada a complexidade da intervenção a que Chávez foi submetido e por causa das complicações que surgiram durante o ato cirúrgico. 13/12/2012 às 17:37
Show 1
Hugo Chaves em um dos gestos de vitória ao ser reeleito em outubro de 2012
Agência Brasil * ---

O presidente Hugo Chávez, que foi operado terça-feira (11) em Cuba, está em "progressiva e favorável recuperação", disse nesta quinta-feirae (13), em cadeia nacional de rádio e televisão, o ministro da Comunicação e Informação da Venezuela, Ernesto Villegas.

No comunicado, Villegas disse que o processo de recuperação vai requerer "um tempo prudencial", dada a complexidade da intervenção a que Chávez foi submetido e por causa das complicações que surgiram durante o ato cirúrgico. Houve um sangramento, "que requereu a adoção de medidas corretivas que permitiram o oportuno controle" do problema, acrescentou o ministro.

De acordo com o comunicado lido por Villegas, na medida em continue a evolução favorável que começa a evidenciar, prevê-se a aplicação de tratamentos específicos adicionais para ajudar na recuperação plena do presidente.

A cirurgia a que Hugo Chávez foi submetido terça-feira durou mais de seis horas. Depois da operação, o vice-presidente da República e chanceler, Nicolás Maduro, disse que Chávez reagia bem e que a recuperação seria complexa e demorada, pois a cirurgia foi delicada. Ele pediu apoio à sociedade para manter as orações e a torcida pela recuperação de Chávez.

Antes de viajar para Cuba, Chávez anunciou que seria submetido a mais uma cirurgia porque o câncer havia reincidido. O presidente pediu o apoio da população, a confiança em Maduro e avisou que, na sua ausência, o vice-presidente conduziria o país.

Desde o ano passado, Chávez luta contra o câncer. Em 18 meses, ele se submeteu a quatro cirurgias. Na penúltima, disse que estava curado e enfrentou uma campanha tensa pela reeleição, tendo como adversário Henrique Capriles. Pela Constituição, a posse está marcada para o próximo dia 10.


Da Agência Venezuelana de Notícias*