Publicidade
Cotidiano
ECOFRIENDLY

Cinco ideias de arquitetura sustentável presentes no Soberane

Conheça as principais ideias do projeto sustentável e moderno da SKN que une em um só lugar casa, shopping e escritório 24/09/2017 às 06:00 - Atualizado em 24/09/2017 às 12:29
Show soberane
Larissa Cavalcante Manaus

Conciliar o desenvolvimento e a preservação do meio ambiente é o dilema de toda grande cidade. Visando proporcionar uma melhor qualidade de vida e atender as necessidades prementes dos clientes, construtoras tem desenvolvido novas formas de erguer seus empreendimentos, aproveitando e conservando os recursos naturais e adotando materiais econômicos e tendências sustentáveis.

O mercado de construções verdes no Brasil tem se consolidado nos últimos 10 anos. Em um ranking de 165 países onde a certificação para construções verdes LEED (Leadership in Energy and Environmental Design ou Liderança em Energia e Projeto Ambiental) se faz presente, o Brasil ocupa a 4ª posição com 1.230 projetos registrados e destes, 423 certificados (LEED) e 43 projetos registrados e destes, 3 certificados.

O +Dinheiro listou cinco fatos sustentáveis presentes no Soberane, novo empreendimento da SKN Incorporadora, projeto que une “casa, shopping e escritório” em um único lugar. O complexo será entregue em 2018.

1. Bicicletas: tendência mundial

A bicicleta é um veículo que não polui o meio ambiente, diminui o congestionamento no trânsito, além dos inúmeros benefícios para a saúde. A magrela ganhou espaço no cotidiano do brasileiro como opção de lazer, fonte de renda e importante meio de transporte diário. Em Manaus, mais de 80 mil pessoas (o equivalente a 4% da população) utilizam a bicicleta regularmente como meio de transporte, segundo dados divulgados em 2012 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). A cultura das magrelas extrapolou as questões relacionadas à mobilidade e infraestrutura urbana e chegou ao mercado imobiliário. Cada vez mais, as construtoras investem na oferta de bicicletários para proporcionar comodidade e segurança para quem utiliza a bike no dia a dia. Mas não é apenas nos condomínios residenciais que os bicicletários estão ganhando terreno. Lançamentos comerciais de alto padrão também estão antenados às novas tendências de mobilidade.  

“A proposta do empreendimento em geral é  economizar tempo, oferecendo diferentes alternativas para as pessoas que irão utilizar o complexo. Para reduzir a poluição ambiental e diminuir o estresse do trânsito, os trabalhadores do Soberane terão à disposição um bicicletário com  banheiro”, explica o diretor de planejamento da SKN, Eduardo Han.

2. Estação de tratamento

Há muitos motivos para reaproveitar a água de reuso. Uma alternativa é a estação de tratamento de esgoto (ETE) responsável por tratar a água poluída e devolvê-la ao meio ambiente em forma de água tratada, formando um ciclo de reaproveitamento sustentável. O esgoto captado por tanques é submetido a uma série de etapas a separação de impurezas, filtragens, cloração até que a água poluída esteja apta a ser reutilizada ou  devolvida sem ser uma ameaça à saúde e ao meio ambiente. Antigamente, a fossa séptica era bastante usada em condomínios residências para tratar o esgoto e deixou de ser usada devido o prejuízo ambiental que a mesma causava. Com o desenvolvimento de novas tecnologias e a chegada das ETEs compactas, é possível tratar de maneira adequada os efluentes e reaproveitar a água em atividades como jardinagem, limpeza de áreas socias e reabastecimento de vasos sanitários.

A estação de tratamento do Soberane irá atender a torre comercial e o mall. Após as etapas de tratamento, a água será armazenada na cobertura no empreendimento e de lá será distribuída para o reuso nas descargas do banheiro. A capacidade de reaproveitamento é de 80% e a iniciativa sustentável representa redução na taxa de condomínio.
 

3. Gás Natural Made in Amazonas

É um combustível fóssil não renovável e extraído diretamente da natureza, ou seja, faz com que seja consumido no seu estado de origem sem necessitar de qualquer transformação ou processamento industrial. A utilização do gás natural vem se expandido ao acompanhar a tendência mundial de busca por fontes de energia mais eficientes e limpas.

O Soberane utilizará o gás natural extraído da Província Petrolífera de Urucu, localizada no município de Coari. O gás canalizado é fornecido pela Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) e chega à capital por meio do gasoduto Urucu-Coari-Manaus.  Dentro de Manaus, foram construídos uma rede de distribuição de 95 quilômetros de extensão. 35 Indústrias do Polo Industrial de Manaus (PIM), 12 termoelétricas, 5 postos de combustíveis e 8 estabelecimentos comerciais utilizam o gás natural de origem amazonense.

“A iniciativa é fruto de uma parceria com a Cigás. É um combustível limpo que se dissipa mais rápido em contato com o ar, caso aconteça alguma faísca o empreendimento não irá pegar fogo. Ele é um gás mais barato por apresentar uma rede de distribuição canalizada e não possui custo logístico em comparação aos demais. Ele será utilizado em todo o empreendimento e a estimativa é 30 a 40% de economia para o condômino”, disse Eduardo Han.

CONHEÇA MAIS SOBRE O SOBERANE CLICANDO AQUI

4. Vidro Especial

Um dos diferenciais do Soberane é a fachada da torre comercial ser 100% revestida revestida de vidro insulado ou duplo. O matérial possui uma camada de ar entre as folhas que isola a casa e ajuda a economizar na conta de energia, além do bônus de reduzir significativamente a poluição sonora. Largamente utilizado na construção civil dos países europeus, o vidro duplo está presente no  dia a dia, como, por exemplo, na porta dos freezers e refrigeradores com a função de isolação térmica. Os maiores consumidores são os países árabes que possuem altas temperaturas e a China, que possui várias regiões de clima quente e grande variação de temperatura.

“É um vidro com eficiência tanto na redução de calor e no uso do ar condicionado quanto na redução dos barulhos externos em virtude do isolamento térmico. O material evita uma situação muito comum na cidade que são as paredes quentes em que, mesmo em ambiente refrigerado, ao se aproximar do vidro é possível sentir o calor. Com o vidro insulado, não há essa sensação. É também um vidro com uma durabilidade maior. Cada vez mais as pessoas utilizam o ar condicionado com frequência e esse vidro representa 30% de economia no consumo de energia”, afirmou Han.

5. Escritório compartilhado

Com os apartamentos cada vez menores e a preferência ou necessidade de se trabalhar em casa cada vez maior, o espaço coworking em condomínios residenciais começam a surgir como solução e tendência que deve vingar. O modelo já acontece em outros estados como Paraná e São Paulo e Manaus não fica de fora. O coworking é uma tendência de negócio em que há o compartilhamento de espaço e recursos de escritório, reunindo pessoas que trabalham não necessariamente para a mesma empresa ou na mesma área de atuação.

Dados do Censo Coworking Brasil afirmam um crescimento de 52% desse modelo de negócio em 2016 se comparado com o ano anterior. A SKN é uma das construtoras que tem adequado tal proposta em seus projetos. No Soberane haverá uma espécie de escritório compartilhado para os condôminos da torre corporate. Segundo Eduardo Han, o coworking será mais um benefício para as pessoas que trabalharam no complexo. “É um espaço de coworking com salas de reuniões e auditórios compartilhados disponíveis para o uso. A iniciativa visa trabalhar a ideia da divisão de custos pela ótica da economia de recursos. Assim, o empresário que possui um sala de 35 m² e precisa utilizar uma sala maior ou até mesmo um auditório ele terá essa opção à disposição”, destacou o diretor de planejamento da incorporadora.