Publicidade
Cotidiano
Eleições 2016 em manaus

CMM inaugura temporada de discursos contra desafetos eleitorais

Mário Frota, que foi vice-prefeito de Manaus ao lado de Serafim Correa (2005 a 2008), afirmou que Marcelo Ramos - titular da SMTU por nove meses no ano de 2008 - foi autor de uma 'licitação fajuta e super viciada' 10/05/2016 às 04:05 - Atualizado em 10/05/2016 às 12:35
Janaína Andrade Manaus (AM)

Ex-vice-prefeito e aliado do atual chefe do Executivo, Artur Neto (PSDB), o vereador Mário Frota (PHS) ocupou a tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM), ontem (9), para atacar um dos principais adversários do prefeito na eleição que se aproxima, o ex-deputado Marcelo Ramos (PR).

O pronunciamento de Mário Frota inaugura a temporada de discursos eleitorais na Casa Legislativa, que até então vinha se evitando. O parlamentar, que foi vice-prefeito de Manaus ao lado de Serafim Correa (2005 a 2008) afirmou que Marcelo Ramos - secretário municipal de Transportes Urbanos (SMTU) por nove meses no ano de 2008, foi autor de uma “licitação fajuta e super viciada”, dando origem ao consórcio Transmanaus, que colocou nas ruas da capital, segundo ele, ônibus sucateados.

“Em propaganda política que tem passado nos últimos dias na TV, o Marcelo tem feito críticas muito ferrenhas a administração do prefeito Artur Neto, quanto ao transporte coletivo. Mas porque o Marcelo não consertou o sistema de transporte coletivo quando foi secretário? Ele esqueceu da tragédia que, na condição de secretário na gestão do Serafim, foi autor? Quanta cara de pau, ele aprofundou o caos no sistema quando engendrou, com os proprietários de ônibus, uma licitação fajuta, super viciada, que deu origem a um monstrinho: o Consórcio Transmanaus, de triste memória. Ele trouxe ônibus sucateados para Manaus”, afirmou Frota.

O vereador contou ainda que, em pouco tempo, os ônibus adquiridos por Ramos começaram a apresentar graves defeitos e que levou o caso ao então prefeito, Serafim Correa. “(Ele) não mexeu uma palha para saber a verdade sobre a grave denúncia que ora lhe coloquei nas mãos”, disse.

O discurso de Frota foi acompanhado pelo vereador Marcelo Serafim (PSB), filho do ex-prefeito e hoje deputado estadual, Serafim Corrêa (PSB), que rebateu as críticas. “Nós tínhamos domingueira, nós tínhamos integração temporal. Não há necessidade de se ter cinco terminais na cidade de Manaus se a integração e a bilhetagem temporal tivesse sido implantada e continuada pelo prefeito Amazonino e Artur Neto. Na gestão do prefeito Serafim Corrêa entraram 618 ônibus novos. Houveram problemas em duas unidades, somente”, rebateu.

Marcelo Serafim afirmou ainda que Mario Frota não poderia ser “injusto” e devido a problemas mecânicos em dois ônibus, “jogar na lama 618”.  “Vossas diferenças com o ex-presidente da SMTU devem ser tiradas com ele. Ele é desrespeitoso, ele é agressivo, ele não respeita vossa excelência, a mim não”, contestou o vereador.

'Não vou discutir', diz Marcelo Ramos

Procurado pela reportagem, o ex-deputado estadual e pré-candidato a Prefeitura de Manaus Marcelo Ramos (PR) declarou que suas contas como gestor da SMTU foram aprovadas por unanimidade e sem ressalvas pelo TCE/AM.

“Depois de ser presidente do SMTU fui reeleito vereador, eleito deputado e tive 17% dos votos dos manauaras pra governador. Quem tinha que julgar as minha gestão (TCE e povo), julgou e aprovou. Não vou discutir com vereador. Eles estão legitimamente cumprindo o papel deles de defender seus líderes que sabem a força do projeto que nós estamos apresentando a cidade”, declarou Ramos.