Publicidade
Cotidiano
Notícias

Comarca de Presidente Figueiredo inicia trabalho com o sistema eletrônico de processos judiciais

Um sistema que permite ao magistrado e ao advogado acompanharem a movimentação de um processo distribuído em uma vara no interior do Estado a partir de qualquer lugar do mundo. O Projudi foi iniciado  nesta segunda-feira (26) no Fórum de Justiça de Presidente Figueiredo. 26/11/2012 às 18:08
Show 1
Processos de todas as Comarcas do Amazonas deverão ser totalmente digitalizados e consultados online até o ano que vem
acritica.com Manaus (AM)

O chamado Sistema de Processo Judicial Eletrônico (Projudi) permite ao magistrado e ao advogado acompanharem a movimentação de um processo distribuído em uma vara no interior do Estado a partir de qualquer lugar do mundo. Ele foi iniciado oficialmente nesta segunda-feira (26) no Fórum de Justiça de Presidente Figueiredo, a 107 quilômetros de Manaus.  

Segundo o corregedor-geral de Justiça e coordenador da Tecnologia da Informação do TJAM, desembargador Yedo Simões de Oliveira, o Projudi permite a tramitação totalmente eletrônica de processos judiciais a partir de uma ferramenta que vem sendo utilizada há cinco anos no Estado do Paraná e que foi ‘importada’ para o Amazonas.

Presidente Figueiredo não é a única unidade judiciária a receber o sistema, que aos poucos vai aposentando os volumoso processos de papel, o Projudi está funcionando também em Guajará, Iranduba e Manaquiri.

“Esses três municípios inauguraram o sistema de informatização do interior. Até outubro de 2013, pretendemos interligar todas as comarcas do Amazonas possibilitando ter as informações de processos, desde as mais longínquas unidades judiciais”, declarou Yedo Simões.

Na próxima semana, o município a ser instalado o sistema de processo judicial eletrônico será Envira (a 1.208 quilômetros de Manaus).

Segundo Simões, há um déficit de quase 30 juízes para as 77 comarcas do Amazonas, mas com a instalação do Projudi, será possível estender a administração de processos a juízes da capital, nomeados para comarcas do interior sem o mesmo se ausentar da sua lotação.

Para o presidente do TJAM, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, a implantação do sistema reflete diretamente no atendimento dispensado à população amazonense. “É de suma importância, pois é uma das metas preconizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e visa, precipuamente, dar celeridade a prestação jurisdicional”, afirma o presidente do TJAM.

Segundo a juíza titular da Vara de Presidente Figueiredo, dra. Ana Paula Braga, tramitam naquela unidade, atualmente, 2.700 processos da Justiça comum e 600 de Juizado Especial. “Na otimização dos trabalhos, pois o cartório terá agilidade para cumprir as determinações judiciais, a possibilidade dos advogados peticionarem ‘on line’, sem se deslocarem para a comarca para fazer isso e vai contribuir muito para o trabalho da Justiça aqui na Comarca de Presidente Figueiredo”, avaliou a magistrada.


Plano de informatização e benefícios

Segundo o diretor de Tecnologia da Informação do TJAM, Messias Andrade, a equipe de tecnologia e informática já iniciou os procedimentos para expandir o Projudi para as unidades judiciais da região metropolitana. “Essa semana deslocamos duas equipes para Novo Airão e Itacoatiara”, informou.

Outro benefício é para o advogado militante que mora em Manaus, que vai se deslocar para outra cidade para uma simples consulta de processo ou para levar petições ao juízo, fazendo tudo em tempo real.

“Podemos dizer que somos referência no país a nível de processo digital porque já conseguimos alcançar a capital com o SAJ e agora estamos alcançando todas as comarcas do interior com o Projudi”, finalizou Messias Andrade.