Publicidade
Cotidiano
Notícias

Comércio já contrata temporários para datas comemorativas

De olhos nas vendas do Dia das Crianças e nos festejos de fim de ano, lojistas estão admitindo em regime temporário 11/09/2012 às 07:05
Show 1
Segundo semestre é sempre um período de boas oportunidades para quem deseja um emprego temporário
Luana Gomes Manaus

Com a proximidade do Dia das Crianças, que será comemorado no dia 12 de outubro, e de olho nas festividades de final de ano, o comércio já abriu o período de contratações temporárias na expectativa de ampliar em até 24% o seu quadro de pessoal, segundo estimativas feitas ontem pela Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus).

Caso essa estimativa venha a se confirmar, até o final do ano terão sido admitidos 5,8 mil novos comerciários em regime temporário, número superior aos 4,7 mil contratados nesse mesmo intervalo de tempo no ano passado.

Mesmo admitindo os efeitos da crise econômica na Europa, que têm se refletido no Brasil, onde a projeção em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) não para de cair, a CDL-Manaus está otimista em relação ao Dia das Crianças e  projeta alta de 3,5% nas vendas das lojas especializadas em brinquedos.

O presidente da entidade, Ralph Assayag, lembra, aliás, que esse setor foi reforçado com a abertura de 12 novas lojas, do ano passado para cá.

O presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ismael Bichara, lembra que os lojistas já começaram a contratar temporários desde agosto e que a tendência é que o atual quadro de comerciários cresça em até 20%. A opção feita por algumas lojas de abrir a temporada de contratações mais cedo se deve, segundo ele, à necessidade de qualificar os novos comerciários.

Estimativa
O comércio local não alcançou a meta de crescimento estimada para o primeiro semestre. Os lojistas esperam crescimento de 5%, mas acabaram registrando apenas 3,5%. Mesmo assim, na avaliação de Assayag, esse indicador não foi tão ruim, porque os 5% registrados no primeiro semestre de 2011 foi considerado muito bom, considerando os problemas decorrentes da crise. “Não é como gostaríamos, mas estamos tendo crescimento”, ponderou.

Acima do pib
De acordo com o presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ismael Bichara, este esforço do Governo Federal para movimentar as vendas, como a desoneração de impostos para o setor de automóveis e linha branca, permite a perspectiva de finalizar o ano com uma expansão na ordem de 4% nas vendas do comércio local.

Bichara disse que essa estimativa é considerada satisfatória para os lojistas, especialmente quando esse porcentual é mais que o dobro da projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Com base no boletim Focus, divulgado pelo Banco Central (BC), a estimativa é que o PIB finalize o ano em 1,62%, variação que sofreu a sexta redução seguida. “Só em termos um crescimento frente a 2011, já é algo satisfatório”, disse Bichara.

Direitos assegurados

Legislação
A partir da lei no 6.019, de 3 de janeiro de 1974, os trabalhadores têm o respaldo para garantir seus direitos pelo serviço temporário.

Meses trabalhados
A partir de uma justificativa extraordinária, os temporários são contratados para três meses, prazo que pode ser prorrogado por igual período.

Remuneração
Os trabalhadores têm o direito de receber o mesmo valor concedido a outros funcionários da mesma função na empresa.

Jornada
Embora contratados por um curto período, a jornada dos temporários é de oito horas diárias, podendo exceder até mais duas que devem ser remuneradas como período extra.

Proteção previdenciária
O curto período de duração trabalhista não impede os funcionários de terem a carteira assinada e serem assegurados pela Previdência Social.

Seguro
O trabalhador, assim como qualquer outro da função, tem garantido o direito ao seguro contra acidente de trabalho, que resulta em indenização.

Dermilson Chagas - Superintendente regional do Trabalho e Emprego
“Conforme  a legislação  que dispõe sobre o serviço temporário, a duração deste contrato é de três meses, podendo ser prorrogado uma única vez. Ao contrário de um funcionário permanente, ao término do contrato, não será devido o aviso prévio, por se tratar de contrato de trabalho por tempo determinado. Com isso, muitas empresas chegaram a registrar um trabalhador como temporário apenas para reduzir o custo. No entanto, este tipo de contrato é feito apenas para uma excepcionalidade, como atender a demanda de fim do ano. No final do ano, há uma demanda maior por esses serviços temporários. Entretanto, assim como em outros períodos, nós só podemos fiscalizar essa situação trabalhista a partir das denúncias feitas à superintendência”.