Publicidade
Cotidiano
Notícias

Comissão Estadual de Honorários Médicos (Cehm) quer suspender atendimento aos planos de saúde

Comissão Estadual de Honorários Médicos (Cehm) orienta médicos a suspenderem o atendimento aos planos de saúde na segunda-feira (15) afim de reivindicar cinco propostas que serão discutidas na Câmara Municipal de Manaus. Ainda assim, o atendimento à emergências continua normalmente. 11/10/2012 às 20:35
Show 1
Presidente do Simeam diz que os médicos exigem melhor assistência para os pacientes e valorização da medicina
acritica.com Manaus (AM)

O coordenador da Comissão Estadual de Honorários Médicos (Cehm) e presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), Dr. Mario Vianna, convida a categoria para participar do Ato Público na segunda-feira (15), às 14h, no plenário da Câmara Municipal de Manaus, localizada na Rua Padre Agostinho Caballero Martin, bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus.

“Sugerimos aos médicos suspensão do atendimento a consultas e procedimentos eletivos aos planos de saúde, orientando que os mesmos possam ser remarcados. Obviamente que os atendimentos de urgência serão mantidos”, disse o Dr. Mario Vianna.

A categoria quer discutir cinco pontos de reivindicação que entrarão em pauta: o reajuste dos honorários de consultas e outros procedimentos, tendo como referência a CBHPM, inserção nos contratos de critério de reajuste, com índices definidos e periodicidade, por meio de negociação coletiva, inserção nos contratos de critérios de descredenciamento, resposta da ANS, por meio de normativa, à proposta de contratualização, encaminhada pelas entidades médicas e o Fim da intervenção antiética na autonomia da relação médico-paciente.

Formado pelo Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), Conselho Regional de Medicina (Cremam) e a Associação Médica do Amazonas (AMA), a Comissão Estadual de Honorários Médicos (Cehm) reuniu nos meses de agosto e setembro representantes das Sociedades, Cooperativas e Empresas de Especialidades Médicas para fazer o levantamento das principais reivindicações da categoria que serão apresentadas no Ato Público.

De acordo com Dr. Mario Vianna, as denúncias mostram a insatisfação no serviço prestado pelas operadoras de saúde. “Recebemos a informação de uma usuária que possui os planos da Unimed e Geap e está insatisfeita com o atendimento e o descredenciamento constante de médicos. Outro denunciante do plano Hapvida falou da dificuldade de marcar consultas. São várias denúncias que consolidam a necessidade da mobilização”, disse.

Eles aguardam agora a manifestação do Ministério Público do Estado (MPE), através da Procuradoria do Consumidor (Prodecom), sobre as denúncias encaminhadas a ouvidoria e o apoio na convocação das Operadoras de Planos de Saúde para negociar com a comissão.