Publicidade
Cotidiano
INICIATIVA

Comunidades indígenas Sateré-Mawé de Maués recebem poços artesianos

O projeto busca proporcionar água de melhor qualidade à população rural, tendo como base uma energia sustentável e mais limpa 23/11/2017 às 16:52
Show torneiras
Foto: Divulgação
acritica.com* Manaus (AM)

A proposta sustentável é o grande diferencial do Programa de Saneamento Integrado de Maués (ProsaiMaués), que vai contemplar comunidades indígenas Sateré-Mawé com oito poços artesianos e completa estrutura sanitária, movidas a partir da geração de energia solar. No próximo sábado (25), o Governo do Estado oficializa a entrega dos poços tubulares nas comunidades indígenas beneficiadas pelo ProsaiMaués.

A solenidade de inauguração será na comunidade São Pedro, com a presença do secretário-chefe da Casa Civil, Sidney Leite, representando o governador Amazonino Mendes; do titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e da Secretaria de Estado da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), Oswaldo Said; do secretário executivo da SRMM, Elânio Gouvêa; do coordenador executivo da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Claudemir Andrade; e do prefeito de Maués, Júnior Leite.

Cada comunidade está equipada com estrutura de placas solares fotovoltaicas e baterias que geram e armazenam energia para acionar as bombas que farão funcionar o sistema hidráulico. O benefício inclui poços tubulares (artesianos); caixas d’água, unidades sanitárias equipadas com vaso sanitário, pia, chuveiro e torneiras, bem como redes de abastecimento. As estruturas sanitárias serão de uso comum, de modo que não descaracterize os costumes locais.

O projeto criado para proporcionar água de melhor qualidade à população rural, tendo como base uma energia sustentável e mais limpa. Anteriormente, os sistemas funcionavam com motores movidos à diesel que tornam a operação mais cara e demandam mais trabalho da comunidade que ficavam vulneráveis à falta do combustível.

A reserva de bateria das placas solares é suficiente para a demanda de cada comunidade que precisará reabastecer os reservatórios de água a cada três dias para ligar. Inclusive, cada comunidade designou duas pessoas que foram treinadas a operacionalizar o sistema, que inclui a casa de bomba e quadro elétrico.

O suporte ficará a cargo do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) do município de Maués.

Cartilha

Os moradores das comunidades receberão do ProsaiMaués a cartilha “Água é vida”, a fim de orientar sobre o uso e a manutenção de poços e banheiros. A gestão e manutenção das estruturas sanitárias serão entregues à concessionária de água do município de Maués.

O ProsaiMaués atua em 13 comunidades indígenas Sateré-Mawé. São elas: São Pedro, São Benedito, Belo Horizonte, Terra Nova, Santa Izabel, Antioquia II, Livramento, Nova Liberdade, Boas Novas, Monte Salém, Santo Anjo, Livramento II e Marau Novo.

Sobre o ProsaiMaués

O Programa de Saneamento Integrado de Maués (ProsaiMaués) tem como objetivo contribuir para a solução dos problemas de saneamento básico, urbanísticos e socioambientais que afetam a qualidade de vida da população e a sustentabilidade do município. Entre as metas a serem atingidas, estão a redução do número de famílias que vivem sob risco de inundação, valorização dos imóveis, melhoria no serviço de esgotamento, serviço contínuo de água, fomentar o turismo local e acesso a água potável para as comunidades indígenas. Os trabalhos se concentram nas lagoas da Maresia, Prata, Donga e seus entornos.

O ProsaiMaués é financiado pelo Governo do Estado do Amazonas e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através SEINFRA, SRMM, UGPE, UGPM/ProsaiMaués.